Um dos grandes nomes da cultura brasileira e sempre lembrado pelos paulistas quando se fala da Revolução Constitucionalista de 1932, é, sem dúvida, o de Guilherme de Almeida.

Divulgação

Nascido na cidade de Campinas em 1890, Guilherme de Andrade de Almeida, foi advogado, jornalista, heraldista, crítico de cinema, poeta, ensaísta e tradutor brasileiro.

Figura importante da cultura paulista, foi um dos idealizadores da célebre Semana de Arte Moderna de 1922, além de junto de seus colegas, como Oswald de Andrade, ter sido um dos fundadores da revista Klaxon, criada para a divulgação de ideias modernistas.

Como se isso já não bastasse para um currículo invejável, Guilherme de Almeida foi combatente na Revolução de 1932, ato que lhe rendeu um exílio em Portugal.

Ao regressar a São Paulo, foi homenageado com a Medalha da Constituição, honraria instituida pela Assembleia Legislativa Paulista. Com poemas e obras que mostram profundo amor e dedicação a São Paulo, foi proclamado como “o poeta da Revolução de 1932”

Falecido em 1969, Guilherme de Almeida residiu por boa parte da sua vida em um belo casarão da rua Macapá, no bairro do Pacaembu:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Transformada em museu 10 anos após a morte do ilustre poeta paulista, a casa abriga principalmente objetos que pertenceram a Guilherme de Almeida.

Grande parte do acervo da instituição é constituída por uma significativa coleção de obras de arte (gravuras, desenhos, esculturas, pinturas etc), em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. No local, também é possível encontrar móveis da época, pratarias, objetos decorativos, pessoais e profissionais do escritor.

Detalhe do muro e calçada do casarão (clique na foto para ampliar).

Detalhe do muro e calçada do casarão (clique na foto para ampliar).

A Casa Guilherme de Almeida — que tem como objetivos centrais preservar o legado e a memória do poeta, bem como promover o conhecimento de sua obra — oferece ao público intensa programação cultural, relacionada ao amplo campo de atuação de Guilherme, incluindo-se cursos, oficinas, palestras, mesas-redondas e recitais.

TOMBAMENTO:

Foto: Douglas Nascimento

Peça importante da história e cultura paulista, a Casa Guilherme de Almeida recebeu, no dia 16 de março de 2015, o tombamento do imóvel pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo). A ação soma-se ao tombamento municipal realizado em 2009 e traz ainda mais proteção ao patrimônio histórico e cultural.

Recomendamos fortemente que vá conhecer o excelente centro cultural e museu que é a Casa Guilherme de Almeida. A tranquilidade da rua Macapá, somada com o bom gosto da residência e o bem executado trabalho de restauração realizado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, fazem do casarão um espaço muito especial.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Serviço:
CASA GUILHERME DE ALMEIDA
CENTRO DE ESTUDOS DE TRADUÇÃO LITERÁRIA
(11) 3673-1883 / (11) 3803-8525 | casaguilhermedealmeida@gmail.com
Museu: rua Macapá, 187
Anexo: rua Cardoso de Almeida, 1943
Site: www.casaguilhermedealmeida.org.br
Visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.
Demais atividades consulte o site oficial do museu

Abaixo, veja mais duas imagens da Casa Guilherme de Almeida:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Alexandre Giesbrecht 14/04/2015 at 15:20

    A placa da Prefeitura, pelo visto, é coisa bem recente: em setembro ainda não estava lá.

    Reply
  • Carlos Gama 14/04/2015 at 19:00

    Parabéns, Douglas!
    Embora pareça improvável, dado ao excelente trabalho a que se propõe, você sempre acaba nos surpreendendo ainda um pouco mais.

    Reply
  • flavia r s franco 14/04/2015 at 20:03

    Ótima idéia para um passeio …. Cultura e Arquitetura juntas…

    Reply
  • José Márcio 23/04/2015 at 14:48

    Bela casa-museu. Uma das três raras que existem em São Paulo, ao contrário de Nova Iorque onde existem muitas belas residências que se transformaram em museus pelos seus antigos proprietários, como a que abriga a Frick Collection.

    Reply
  • danielpardo2015 23/04/2015 at 20:33

    Se não fossem vocês do São Paulo Antiga divulgar essa casa, ninguém ia saber da existência dela a não ser quem mora próximo a mesma.

    Reply
  • Silvia Calçada 02/05/2015 at 02:42

    É linda!

    Reply
  • Silvia Calçada 07/05/2015 at 01:39

    Quando o imóvel é tombado está garantido que não nascerá um prédio monstro atrás?

    Reply
%d blogueiros gostam disto: