Caminhando pelo centro de São Paulo, principalmente pelas ruas São Bento e 15 de novembro, é possível observar alguns cofres instalados na parede externa de alguns dos edifícios. São os cofres para depósitos noturnos.

clique para ampliar

Estes cofres começaram a surgir em São Paulo nos primeiros anos do século 20 e por décadas – até bem pouco tempo atrás – eram bastante utilizadas. No início atendiam principalmente a empresários e comerciantes cujos estabelecimentos funcionavam até bem depois do horário de expediente bancário.

A pessoa preparava um envelope (ou até mesmo um malote) e dirigia-se ao cofre do banco em que tinha conta, fazendo o chamado depósito noturno. No dia seguinte um funcionário do banco retira os depósitos por dentro do banco e fazia o crédito nas contas correspondentes.

Em uma segunda fase da utilização dos depósitos noturnos, as empresas de segurança é que passaram a utilizá-los, parando seus carros-fortes diante deles e descarregando os malotes nos cofres. Com o passar dos anos e a modernização das atividades bancárias e financeiras os mecanismos de depósitos noturnos foram caindo em desuso.

Com o tempo muitos dos chamados “recebedores automáticos” foram arrancados das paredes, mas ainda existem vários espalhados pelas principais ruas centrais da cidade. Alguns deles, inclusive, remetem a bancos que nem mais existem.

Fizemos uma seleção deles, confira:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Local: Rua 15 de Novembro

Os principais fabricantes de cofres para depósitos noturnos são estrangeiros. As empresas Mosler (clique no nome e veja mais) e Diebold são as mais encontradas, enquanto a marca Bernardini era a nacional mais requisitada.

BÔNUS – CAIXA DE CORREIO:

Muito parecida com os cofres para depósitos noturnos, esta caixa de correio da rua 15 de novembro também é bastante interessante.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

clique na foto para ampliar

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Rogerio Marino 07/08/2017 at 13:25

    A cada postagem, um aprendizado. Hoje temos poucas opções de bancos, uma pena.

    Reply
  • Rodrigo 07/08/2017 at 13:27

    A Mosler (empresa multinacional que declarou falência em 2001) pelo visto dominava esse mercado de cofres para depósito noturno no mundo todo.

    Buscar no google imagens por “Mosler Night Deposits”
    https://www.google.com.br/search?rlz=1C1GGLS_pt-BRBR366BR366&biw=1280&bih=685&tbm=isch&sa=1&q=mosler+night+deposits&oq=mosler+night+deposits

    Reply
  • Alessandro Carlos 07/08/2017 at 23:17

    Por gentileza, poderiam colocar os endereços para facilitar nossa visitação? Abraço imenso

    Reply
  • Agronopolos 08/08/2017 at 00:22

    Uma coisa que seria interessante é saber quais são os endereços dos cofres que vc colocou

    Reply
  • Regina Fonseca 08/08/2017 at 01:00

    tenho uma dúvida… como eram feitos esses depósitos? as pessoas tinham a chave desses cofres? pq não vejo nenhuma entrada para envelopes e imagino que daria problema caso várias pessoas tivessem acesso ao que já havia sido depositado né…

    Reply
  • Paulo Clístenes Vieira da Silva 08/08/2017 at 18:53

    Até os cofres tem sua história, muito interessante, retratos de uma época, e a evolução dos depósitos!

    Reply
  • Emerson de Faria 09/08/2017 at 17:49

    Esses cofres noturnos são os avôs dos caixas eletrônicos modernos.
    Douglas, aqui vai uma sugestão de artigo: que tal escrever sobre as rodas do enjeitados, que haviam em alguns hospitais como a Santa Casa?

    Reply
    • Douglas Nascimento 09/08/2017 at 20:56

      É uma excelente ideia, requer uma pesquisa um pouco mais longa. Vamos fazer!

      Reply
  • Jaqueline Primiani 10/08/2017 at 17:44

    Tem um desses em um prédio da rua Dom José de Barros na República

    Reply
  • Rubens Caetano 02/09/2017 at 20:26

    Muito legal. Aqui no Rio também vejo vários pelo centro.

    Reply
  • Daniel Pardo 22/10/2017 at 20:43

    Outro dia eu estava na internet e eis que me aparece uma publicidade antiga do Bradesco onde mostrava uma Kombi com um caixa eletrônico na caçamba, uma espécie de caixa eletrônico móvel, ai eu pensei com meus botões: “E pensar que num belo dia nós tínhamos isso.”, o que hoje seria impensável pois os “malas” com certeza viriam com um guincho para levar a Kombosa embora.

    Reply
    • Melissa Diniz 22/05/2018 at 19:00

      Olá, Daniel, tudo bem? Sou jornalista e estou precisando de depoimento de alguém que tenha usado esse tipo de cofre, você tem alguém para indicar? Meu nome é Melissa Diniz e meu email é (melmdiniz@gmail.com). Muito obrigada.

      Reply
  • Ariel Carvalho 02/09/2018 at 10:06

    Cofres de Depósitos Noturnos no Centro do Rio de Janeiro:
    http://misteriosnumismaticos.blogspot.com/2018/09/cofres-de-depositos-noturnos-no-centro.html

    Reply
%d blogueiros gostam disto: