A Praça Pedro Lessa no coração da cidade de São Paulo é também conhecida por muitos como a Praça do Correio. Entretanto desde que todo o Anhangabau foi unificado e transformado em um enorme e pouco utilizado boulevard, são poucas as pessoas que identificam a área como uma praça. Todo mundo chama mesmo é de Vale do Anhangabau.

E ali está instalado um interessante monumento: a Diana Caçadora.

Conhecida na mitologia romana como a Deusa da Lua e da Caça, a escultura em bronze foi obra do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo e está instalada em dos cantos da Praça Pedro Lessa.

Medindo 2,35m com seu pedestal de cimento, a escultura hoje é um símbolo do descaso do poder público com as esculturas da cidade. O motivo ? É que há vários anos a escultura está mutilada, faltando um de seus braços.

Na foto, destaque para o braço esquerdo arrancado há anos.

O vandalismo foi atacando a escultura aos poucos. Há um bom tempo atrás apenas a mão foi arrancada e, algum tempo mais tarde, o restante do braço. O resultado é este da foto acima, uma escultura de uma mulher deficiente física.

Perguntada sobre se há uma previsão de restauro e recuperação do braço arrancado, a Secretaria Municipal de Cultura respondeu:

A Diana está entre as prioridades do programa Adote uma Obra Artística. Reconhecemos a necessidade de restaurá-la, contudo, não há previsão para isso. Por ora, buscamos parceiros interessados para poder recuperá-la por meio do programa. A escultura passa, assim como todas as obras de arte em áreas públicas, por limpeza regular dentro do cronograma de manutenção.

Fica difícil aceitar que a maior e mais rica cidade da América Latina não tem verba para reparar um braço de bronze de uma estátua. Enquanto não recebe o devido restauro, resta a pobre Diana pensar em um outro adjetivo, pois caçadora será um pouco difícil com uma mão só.

Foto: Assinatura da obra na base da escultura

Concluída em 1944 por estudantes do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, a obra Diana Caçadora é uma réplica da escultura homônima do escultor francês Jean-Antoine Houdon. A outras obras do Liceu espalhadas pela capital paulista, entre elas Mercúrio em Repouso que se encontra na Praça da República.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Fabiano Monteiro 07/11/2017 at 12:40

    Também existem outras estátuas na galeria Prestes Maia, uma delas uma cópia de Moisés. Vale a pena conferir!

    Reply
  • Dani Melo 07/11/2017 at 13:52

    Fica dificil aceitar q a maior e mais rica cidade da America Latina tenha tantos vândalos e uma população com tao baixo grau de educação. E infelizmente nisso se tornou-se o país sobretudo nesses 13 anos.

    Reply
    • Carlos Eduardo F. Vecchio 21/05/2018 at 16:27

      13 anos? Ledo engano! Muito, muito mais do que isso.

      Reply
  • Elizete Torres 07/11/2017 at 18:01

    Quanta diferença nesta pobre estátua com a de Madri (Espanha) …Lá sim está a imponente Diana: a deusa da caça, em que os turistas se regozijam em tirar fotos e os madrilenses se orgulham….É vergonhoso mesmo, mas, quem sabe um dia o país se espelhe naqueles de primeiro mundo, a começar pela civilidade do povo!

    Reply
  • Luiz Henrique 08/11/2017 at 09:58

    O vandalismo impera na cidade, especialmente à noite. Haja visto os cemitérios, como o da Consolação, recentemente abordado aqui. A CERTEZA DA IMPUNIDADE, ALAVANCA A CRIMINALIDADE. Essa região central de São Paulo, conhecida como “Centro Velho”, é ainda mais abandonada que o chamado Centro Novo. Aí, se for questionar a Guarda Civil, por exemplo, a resposta dela está está na ponta da língua, bem ensaiada: “fazemos rondas ostensivas na região e o vandalismo está diminuindo”(…) BLÁ, BLÁ,BLÁ,BLÁ…

    Reply
  • Paulo Clistenes Vieira da Silva 10/11/2017 at 15:10

    Como sempre o patrimônio público fica a mercê do tão batido discurso da falta de condições, e a cada dia vamos perdendo a nossa história aos pedaços!

    Reply
  • Daniel Pardo 19/11/2017 at 21:22

    Nos países da Europa, por exemplo, os espaços públicos e os monumentos são conservados porque lá o povo tem consciência que esses são de todos, aqui se vandalizam os mesmos porque o povo acha que eles são de ninguém.

    Reply
    • Luiz Henrique 09/12/2017 at 06:14

      Correto!

      Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor