O sucateamento e o posterior encerramento das viagens de trem pelo Brasil transformou muitas estações ferroviárias em verdadeiros elefantes brancos pelo país afora. Nas cidades do interior, várias estações foram fechadas por não ter mais função e acabaram ou abandonadas ou demolidas. Entretanto, algumas com mais sorte receberam novas funções, como esta que abordaremos aqui.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga - Clique para ampliar.

Ao chegar na Estação Ferroviária de Leme, antigo ramal de Descalvado, a impressão que temos no primeiro momento é que ainda está em pleno funcionamento. Há muitas pessoas entrando e saindo da estação, bilheteria funcionando. Mas como, se não há mais trilhos ?

Bastou entrarmos na estação e chegarmos até a plataforma para constatarmos que a antiga parada ferroviária desativada não perdeu se caráter de transporte coletivo. A velha estação virou um terminal de ônibus urbano.

Saiu o trem, entrou o ônibus. Progresso ou retrocesso ? (clique na foto para ampliar).

Esta mudança pode ser encarada de duas maneiras, uma boa e outra ruim.

Do lado positivo temos o fato de ao invés da estação ferroviária estar abandonada e caindo aos pedaços como tantas outras espalhadas pelo Estado de São Paulo, ter se tornado uma estação de ônibus e, por isso, funcionando ao público e preservada.

Já pelo lado negativo, a Estação do Leme apresenta de uma forma bem evidente a derrota dos trilhos para o transporte rodoviário. Mostra que em algum momento de nossa história tomamos decisões erradas que permitiram o sucateamento de nossas ferrovias, que até meados do século 20 funcionavam com relativo êxito.

Um pouco da história da Estação do Leme:

No piso, a inscrição “C.P.” de Companhia Paulista de Estradas de Ferro (clique para ampliar).

A Estação do Leme, chamada originalmente de Manuel Leme, teve sua primeira construção inaugurada no distante ano de 1877, ainda no século 19, dentro das terras do fazendeiro que dá nome a estação. O primeiro prédio durou quase quarenta anos e foi substituído pelo atual no ano de 1916.

Pertencente ao extinto ramal de Descalvado da Cia Paulista de Estradas de Ferro, a estação permaneceu em atividade por 100 anos sendo desativada em meados do ano de 1977. Vinte anos após a desativação, em 1997, a linha teve seus trilhos removidos. Depois de permanecer em situação de abandono por mais de uma década, foi transformada em 2009 em terminal de ônibus.

Dados da Estação do Leme:
Inauguração: 1877
Prédio atual: 1916
Desativação: 1977
Ramal: Descalvado
Empresa: Cia Paulista de Estradas de Ferro

Para dados mais detalhados, acesse o link desta estação no site Estações Ferroviárias:

Veja mais fotos desta estação (clique na foto para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Rogerio 26/04/2013 at 12:25

    É possível que a estação de Leme e de várias outras cidades do interior voltem a funcionar. A iniciativa de criação do Trem Turístico que sai da estação da Luz em São Paulo e vai para Mogi das Cruzes, Paranapiacaba e Jundiaí mostra que é viável a exploração turística desses lugares.

    Um grande incentivo para a volta do transporte sobre trilhos seria a implantação na capital dos VLTs, os modernos bondes europeus com ar-condicionado, desenho futurista e acessibilidade melhor que os ônibus, além de não serem poluentes. Em qualquer comparação com os ônibus articulados, os VLTs – ou Trms – saem ganhando.

    Reply
    • Douglas Nascimento 26/04/2013 at 14:24

      No caso da Estação de Leme e as demais do ramal de Descalvado seria quase impossível voltar, já que arrancaram todos os trilhos e em muitos trechos já há outras construções. Uma pena.

      Reply
  • Leandro 02/05/2013 at 23:16

    Outra situação, não podemos tomar por base de “cala-boca” somente trens turísticos. Perdemos como cidadãos de não termos a opção do transporte ferroviário de passageiros em detrimento de interesses econômicos de “meia duzia” apenas para o rodoviário. Engolir um trem turístico como forma de contrapartida a isso é uma atitude equivocada e muito superficial…

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor