Projetada no início dos anos 20, a Fonte Monumental é a grande obra da escultora Nicolina Vaz de Assis Pinto do Couto na cidade de São Paulo. Composta de duas bacias de mármore superpostas, possui 10 metros de diâmetro em sua bacia inferior e 9 metros na superior. No alto eleva-se a figura principal desta obra, um pescador que é atraído pela tentação de três sereias, logo abaixo dele, cuja inspiração partiu da lenda de Ulisses do poeta grego Homero em suas obras Ilíada e Odisséia.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

A fonte, foi inaugurada em 1926 durante a gestão do prefeito Pires do Rio e inicialmente chegou-se a cogitar sua instalação na Praça da Sé. Porém, acabou sendo colocada na Praça Vitória que foi inaugurada juntamente com o monumento. Posteriormente o local teve seu nome mudado para Praça Júlio Mesquita.

Um dos pontos mais charmosos da cidade de São Paulo, na época de sua inauguração passava a nítida impressão ao paulistano de que aquele pedacinho da cidade era uma pequena parte de Roma, que é conhecida como “cidade das fontes”. Abaixo uma imagem da praça e da fonte em fevereiro de 1928.

Crédito: Prefeitura do Município de São Paulo / Divulgação

Entretanto, poucas décadas após ser inaugurada a fonte passou a ser ignorada pelo poder público e já nos anos 70, a fonte chamava a atenção da imprensa pelo abandono, sujeira e descaso. A mais antiga reportagem abordando o abandono da praça e principalmente da fonte trata-se de uma edição do jornal “Diário Popular” de 19 de junho de 1972.

Nos anos 80 a situação chegou a um  ponto de calamidade tão grande que na gestão do então Prefeito Jânio Quadros a ponte foi cercada por grades, como mostra a fotografia abaixo.

Crédito: Divulgação

Foram pelo menos 41 anos de descaso e esquecimento em que a Fonte Monumental foi submetida. Nos últimos anos, com o agravamento da situação dos usuários de drogas na região, apelidada de Cracolândia, a fonte teve vários elementos furtados, foi pichada e tornou-se um fétido banheiro de viciados e pessoas em situação de rua. Em dias de intenso calor era até difícil passar ao lado do monumento, que chegou a ficar como na foto abaixo, tirada do alto de um edifício vizinho.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

A partir de 2009, com a criação do site São Paulo Antiga. Adotamos como uma de nossas prioridades pressionar as autoridades paulistanas a providenciar um restauro na Fonte Monumental e recuperação da praça. Produzimos pautas, falamos em emissoras de rádio, TV e jornais e exercemos nossa credibilidade junto aos leitores para apresentar a Prefeitura de São Paulo a necessidade de devolver este monumento aos cidadãos paulistanos.

Entretanto com alegação de falta de interessados em adotar o monumento através do projeto “Adote uma obra artística” a administração municipal foi empurrando a recuperação do local com a barriga, até que no final do ano passado começou um novo movimento para a restauração da área.  No início de maio de 2013 ela foi entregue a população, restaurada.

Clique na foto para ampliar / Crédito: Zabarov

A restauração da Fonte Monumental não é apenas uma vitória do São Paulo Antiga e de seus leitores, mas de toda a população paulistana. O patrimônio histórico paulistano não pode ficar largado e sempre a espera de verbas privadas. Estamos falando da cidade mais rica do Brasil, que arrecada uma fortuna em impostos com IPTU e ISS e não pode alegar ausência de verbas.

Foram necessárias quatro décadas para que este monumento recuperasse o brilho do passado, mas o resultado foi bastante satisfatório. É muito gratificante ver a fonte funcionando – limpa – dia e noite e o local iluminado, com crianças brincando ao redor deste que é um dos maiores marcos em art noveau da capital paulista.

Abaixo, mais duas fotografias da Fonte Monumental e da Praça Júlio Mesquita:

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Glaucia 29/04/2009 at 11:46

    O descaso com a Fonte Monumental é tão grande que a cabeça de mármore de uma das sereias foi arrancada. Infelizmente quem perde é a população que fica sem o patrimônio

    Reply
  • Agnaldo 10/06/2009 at 20:42

    Eu concordo e é mais que óbivio que o poder público deva recuperar,restaurar e manter esse rico patrimônio da cidade de São Paulo e não apenas esse…existem um grande número de construções de valor histórico,cultural,arquitetônico abandonados por toda São Paulo e pelo Brasil todo…agora o que é preciso também é que a população se conscientize di valor que esse patrimônio representa e que preserve isso,que dê valor ao que lhes foi legado e assim respeite o bem público que afinal pertence a todos nós e que devemos cuidar muito bem dele.Olhando essa fotos vemos muito lixo jogado nessa fonte e não foi a prefeitura que foi ali e jogou…uma cidade enorme como São Paulo não tem como ser cuidada apenas pelo poder público e sim deve ser cuidada por todos nós.

    Reply
  • João N. Telles Jr. 14/10/2009 at 01:02

    Esta fonte deveria estar em um lugar mais seguro, ela é de uma importância e fragilidade muito grande para permanecer em uma praça, ainda mais como a Julio Mesquita. Seu lugar é o saguão da Pinacoteca, antes que não sobre mais nada dela, sendo que como bem observou-se há até sereias sem cabeça atualmente.
    Seria interessante iniciar-se uma grande campanha pedindo que isso fosse feito o quanto antes, aproveitar a visibilidade que este site tem tido cada vez mais para que ela fosse salva da depredação.

    Reply
  • Luiz Carlos Hummel Manzione 22/01/2010 at 15:39

    Fica até dificil dizer o que a população de SP merece. Na minha humilde opinião merece ser tratada a porretadas.

    Reply
  • Motta 26/01/2010 at 20:54

    Falar algo impossível
    Reclamar com quem
    Lembrar sempre
    Fazer algo é possivel mas como começar?
    Para quem tem 61 anos e viu essa fonte ainda em bom estado,é uma tristeza muito grande em ve-la da forma que se encontra.
    Na verdade inaugurar monumentos e uma forma de aparecer na fotografia,mas conservar o monumento nem pensar.
    Bom ,que podemos fazer para preservar os monumentos de São Paulo ?
    Vamos formar um grupo de pessoas com o mesmo objetivo e procurar uma soluçao prática e rápida para uma solução do problema,se não num futuro bem próximo nossos filhos e netos não terão história e nos culparão por não termos feito nada.
    Um abraço a todos

    Reply
  • Daniel 12/11/2013 at 14:35

    restaurada mas ainda cercada. isso não ajuda nada a instigar o apreço pelo espaço público. se fosse para ficar envolto em muros de vidro, era melhor terem arrancado o momumento de uma vez…

    Reply
  • Douglas Marcondelli 12/11/2013 at 15:25

    Sensacional. Parabéns pelo trabalho! São Paulo não merece a feiura a que foi submetida.

    Reply
  • marcelotoledo 03/03/2015 at 17:34

    Observando as imagens chamou a minha atenção a semelhança entre o prédio de cinco andares que aparece na foto de 1928 e aquele pintado de vermelho (ou ocre) nas imagens atuais. Parece mesmo que, depois de 28, ergueram uma continuação do prédio, copiando inclusive o arco do último andar… você chegou a pesquisar isso, Douglas?

    Reply
  • michael de sousa 03/03/2015 at 20:46

    é lamentavél ter q cercar um monumento..até onde vai a educação do brasileiro…

    já cheguei a ver uma praça toda cercada (praça Ragueb Chohfi, no pq Dom Pedro II) por causa de vandalos q tveram a audacia de mutilar as figuras e pixar o pedestral…

    realmente é de se lamentar…

    Reply
    • Luiz Henrique 04/09/2015 at 07:57

      Mas vandalizam pelo simples fato de que nada de mais vai lhes acontecer. Caso sejam pegos, esses malditos meliantes ficarão, no máximo, uma noite no xadrez.Depois disso serão soltos e…farão tudo de novo, farão outras “vítimas” em outros pontos.Brasil…

      Reply
  • Débora Emateguy 04/05/2015 at 15:27

    Brinquei muito nessa praça quando era criança, me lembro que tinha muito medo das lagostas gigantes !! não me lembro quando mas da última vez\ que passei pela praça não tinha mais nenhuma lagosta fico feliz por ter sido restaurada a fonte porque sinto muita dor vendo a história sendo apagada parabéns de novo !
    um grande abraço !

    Reply
  • Patrícia Ale 27/01/2016 at 09:04

    Parabéns pela ação e perseverança!

    Reply