Um dos mais interessantes museus brasileiros teve suas atividades encerradas na sexta-feira, 29 de janeiro. Localizado no município paulista de São Carlos, o Museu da TAM está de portas fechadas para o público.

Museu da TAM (clique na foto para amplia)

Museu da TAM (clique na foto para amplia)

A notícia pega de surpresa os frequentadores e interessados na história da aviação, mas não foi algo repentino. Inaugurado em 2010 o museu foi criado a partir do sonho dos irmãos Rolim e João Amaro em preservar um acervo de aeronaves com condições plenas de voo. No acervo do museu existe um acervo de 90 aeronaves, ítens museológicos e de acervos, além de sua valiosa reserva técnica.

O Museu da TAM possui aeronaves conhecidas do público geral e muitas raridades, como Dassault Mirage III, Fokker 100, Spitfire entre tantos outros que deixam os visitantes apaixonados pelo museu e pela aviação.

Com o agravamento da crise econômica que o país vem enfrentando e a queda nos lucros da Latam, responsável principal pelo museu, a entidade vinha se queixando na dificuldade em manter as atividades do museu, cujo custos mensais são de cerca de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais). Em 2015, começou a ser cogitada a saída do museu da cidade de São Carlos.

Museu da TAM (clique na foto para ampliar)

Museu da TAM (clique na foto para ampliar)

MUDANÇA PARA A CAPITAL PAULISTA

A ideia de transferir o museu para São Paulo vem sendo discutida pela Latam e por autoridades da aeronáutica, que viram com bons olhos a mudança para a capital, que poderia ter um fluxo de visitantes muito maior. O Comando da Aeronáutica apóia a mudança e vem estudando ceder parte de sua área no Campo de Marte para a construção da nova sede do museu. Entretanto a ideia ainda não conta com o apoio da Prefeitura de São Paulo, já que a mesma possui uma disputa pela retomada do terreno do Campo de Marte.

Enquanto a prefeitura mantém a intransigente posição de não ceder, quem perde com isso não é apenas a entidade museológica, mas principalmente toda a população mais uma vez fica privada de acesso a cultura. A abertura do Museu da TAM em São Paulo traria enormes ganhos para a atividade cultural paulistana.

Com o fechamento do Museu da TAM, são três importantes museus paulistas fechados sem prazo para reabertura: Museu Paulista (Ipiranga), Museu da Língua Portuguesa e Museu da TAM.

Vai muito bem a nossa cultura, não é ?

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • jhonatan 31/01/2016 at 10:53

    Uma grande perda. Porém, não se pode culpar a prefeitura. Há muitos locais para ser fazer um museu como esse na cidade.

    Reply
    • Douglas Nascimento 31/01/2016 at 12:03

      Podemos sim culpá-la porque o Comando da Aeronáutica está cedendo um terreno de graça para o museu se transferir para cá. Não vemos porque se criar custos com licitação, compra de terreno se há um doador.

      Reply
      • Philippe 31/01/2016 at 15:28

        Ao contrário do que foi escrito, a Prefeitura não é culpada (como bem lembrou o Jhonatan). Até porque o compromisso de compra de um terreno para outro museu não está no Plano Diretor aprovado recentemente, e além disso, a Prefeitura simplesmente doaria um terreno para o maior grupo aéreo do Brasil com o que em troca? Sejamos realistas, parem de colocar a culpa de toda a questão patrimonial, cultural, museológica e afins no poder público, seja em qualquer esfera governamental.

        Reply
        • Rafael 02/02/2016 at 16:19

          Comando da Aeronáutica está cedendo um terreno de graça para o museu se transferir para SP

          Reply
    • William Tamada 31/01/2016 at 18:04

      Gostaria de saber quais são esses lugares, considerando que grande parte do acervo consiste de aeronaves em condições de vôo e, como tal, precisam ser colocadas para funcionar regularmente.

      Reply
  • Ricardo 31/01/2016 at 12:10

    Dois assuntos em discussão… O museu que certeza poderia engrandecer a cultura com a história da aviação no lugar que lhe convém: Campo de Marte.
    Campo de Marte, qual a real intenção do Prefeito (PT) em desapropriar o aeroporto. Um patrimônio da população paulistana.

    Reply
    • Walkiria Claudete Pintucci 07/02/2016 at 21:05

      Sou contra o Prefeito. ele está acabando com São Paulo,

      Reply
  • Daniel Mello 31/01/2016 at 12:14

    A propósito, qual a razão que move a Aeronáutica a NÃO devolver o o terreno do Campo de Marte à municipalidade paulistana, uma vez que esse bem foi tomado mau miliitari em 1932 e jamais devolvido ? São Paulo tem que retomar essa região, ela está no seio do perímetro urbano da cidade , já tão carente de logradouros públicos. A aeronáutica nada tem a fazer na região.

    Reply
  • Drauz 31/01/2016 at 14:14

    Não basta Cumbica ???? Tem que entregar Campo de Marte também ??? Estratégia militar não pode ser discutida por leigos. Se Marte foi tomado durante a revolução Constitucionalista de 1932 é porque ele já existia, lá e foi considerado área estratégica. E pelo meu parco conhecimento, o espaço aéreo nacional é de responsabilidade do Ministério da Aeronáutica e não da Prefeitura de São Paulo.

    Reply
  • Roberto 31/01/2016 at 14:28

    Curioso esse texto culando abertamente a prefeitura por querer retomar um terreno, e isso já faz tempo, e viabilizar um projeto para toda a cidade e não levar em cosideração essa novidade do museu da Tam. Mais curioso ainda é sequer citar o governo do estado que administra(?!) o Museu Paulista que não tem prazo pra voltar a funcionar e o Museu da Língua Portuguesa que pegou fogo recentemente por falta de recursos. Sem contar o Estação Ciência, ligado à USP, também fechado. Seria isso descuido, esquecimento, desinformação? Ou má fé mesmo?

    Reply
    • Douglas Nascimento 01/02/2016 at 08:43

      Roberto, teoria da conspiração de quinta categoria não dá né ?

      Reply
      • Marcelo José de Souza 02/02/2016 at 14:37

        O nome disso é crise econômica generalizada.

        Reply
    • Marc 02/02/2016 at 09:23

      Concordo com o Roberto. Fazer a mistura entre o poder do governo estadual e municipal e só citar a Prefeitura, sem mencionar os responsáveis dos outros museus, não é prova de bom jornalismo.
      E demais, eu não acho correto que o dinheiro público deve resolver os problemas dos museus privados. Os donos da (LA)TAM devem ser responsabilizados!

      Reply
  • Nilton D’Addio 31/01/2016 at 14:47

    Estive em São Carlos para uma visita ao Museu, que era realmente muito bem estruturado e com acervo maravilhoso. O famoso Jahú, de tantas glórias, estava lá.
    A área do Campo de Marte realmente foi tomada ao povo paulista em 1930 e já defendi em algum ponto deste site, a devolução para a população paulista e a instalação de um Museu Aeronáutico seria uma excelente forma de abrir o espaço para a população.

    Reply
  • Edison R. Moraisw 31/01/2016 at 18:42

    Muito triste mesmo.
    Lamento muito por não ter tido a oportunidade de visitar o museu. Tinha planejado ir ao museu com um dos fundadores da TAM, o Raphael Pirágine Jr, que faleceu há um ano e meio.
    Não consegui ir e duvido que tenhamos um novo local para ele em São Paulo, mesmo que seja no Campo de Marte.
    O espaço lá já está exíguo.
    Quem sabe a Embraer e o Ministério da Aeronáutica (que também está sem dinheiro) consigam hospedar o museu e promovê-lo de forma a gerar uma receita que garanta a sustentabilidade do mesmo.
    Houve, por algum tempo, um museu da Aeronáutica no Parque do Ibirapuera, por pouco tempo mesmo.

    Reply
  • Beato Salu 31/01/2016 at 19:01

    A razão, pode ser, não dar a chance para a prefeitura (“Radard”) dar o mesmo destino dos Parques Augusta ou dos Bufalos (mais predios).

    Alias de propostas vazias já basta o tal “arco do futuro” da campanha eleitoral, ou quem sabe o “trem bala”, ou até o 3 aeroporto de SP, as trocentas mil creches …

    É melhor aguardar alguém mais competente no comando da prefeitura e que ame de forma real e verdadeira a cidade transformando este amor em algo real e não promessas de campanha.

    Reply
  • Valeria 31/01/2016 at 20:46

    Duvido que se a prefeitura retomar p espaço do Campo de Marte fará bom uso dele!!!’
    O museu seria realmente um ganho para SP!
    Visitei p museu em São Carlos e recomendei sua visitação, sempre temendo que não sobrevivesse neste nosso país avesso a tudo que se refere à cultura, educação.
    Era de primeiro mundo. Tomara que venha para a capital!

    Reply
  • ricardo sacco 31/01/2016 at 21:11

    O campo de Marte deveria reforçar sua vocação como local de formação de pilotos, deixar de ser reduto de endinheirados anônimos que criam obstáculos de acesso da população e coexistir com o PAMA e o museu. Inclusive este deveria compartilhar acervo com o musal, do rio, para que os itens expostos fossem sempre novos e interessantes. Seria uma forma de tirar centenas de aviões que encontram se esperados em pedestais de concreto br afora e dar lhes abrigo histórico. Também poderia abrigar o acervo negligenciado de bebedouro sp.

    Reply
  • Jorge Hidalgo 31/01/2016 at 23:05

    Olá Douglas…parabéns pelas matérias que pelo que vejo e leio, excitam a imaginação e algumas biles…risos…

    Cada vez que vejo em sampa espaço verde destruído apenas para especulação imobiliária…ops….iptu, etc….dá um nó…. ainda bem que a Aeronáutica consegue manter “verde” o campo de marte….se não, já seria outra comunidade…. e, a ideia de trazer o museu da aeronáutica para cá é muito bem vinda, como bem lembra você dos demais museus fechados, ora porque caem de podre ora porque pegam fogo, etc….

    Lamentável tudo neste país… do jeito que vai….vamos mesmo ser o país do futuro…nunca chegamos a lugar algum… e vamos exportar soja, carne, minério…. e o resto é resto… pt saudações!!!

    Reply
    • Marcelo José de Souza 02/02/2016 at 14:34

      Descordo do colega em relação ao apetite quanto ao IPTU, haja visto que a alíquota de cobrança é dez vezes maior para terrenos vazios; tal ambição só faria algum sentido se a edificação a ser construída seja do tipo multifamiliar, seja fruto de incorporação e gerasse matrículas individuais; além do mais, o impacto viário, as isenções previstas em lei, a sobrecarga nos equipamentos públicos e os transtornos gerados pelo adensamento anulam qualquer ganho real ou projetado sobre o aumento de arrecadação. Quanto ao desalento de se ver como país produtor de commodities, devo lembrar ao colega e aos leitores que o Brasil não é, nunca foi e provavelmente nunca será exportador MASSIVO de tecnologia, haja vista a baixa quantidade e qualidade de faculdades politécnicas, a ínfima produção acadêmica e a fobia do empresariado nacional em fomentar o desenvolvimento científico, seja através de bolsas ou patronatos. Enfim, essas são minhas observações.

      Reply
      • Leandro Costa 03/02/2016 at 11:58

        Que papinho de comunista/petista. Pelamor…

        Reply
  • fdb5 31/01/2016 at 23:56

    Nao ha duvida, Haddad vai transformar campo de marte em Ciclovia, pois falta lugares nas ruas e avenidas para tantos ciclistas andarem no dia a dia.

    Reply
    • SavianoMarcio 02/02/2016 at 09:04

      E você continuará eternamente reclamando sentado em frente ao computador…

      Excelente cidadão paulistano, reclama mas não se envolve nem se mexe para nada.

      Reply
  • HORST Wolff 01/02/2016 at 06:35

    Não só os museus mencionados fecharam. Existia em Jundiai um museu ferroviário que também foi fechado e cujo acervo hoje é pouco mais que sucata de ferro. Lá ainda se encontra a mais velha locomotiva da Ex-Companhia Paulista, obviamente sendo desmanchada pela ferrugem.

    Reply
  • Luiz Henrique 01/02/2016 at 07:49

    Sim, vai muitíssimo bem a nossa cultura.O mais importante é que o Paulistão já começou a rede “grobu” vai transmitir ao vivo quase todos os jogos do timão.
    É rir para não chorar.

    Reply
  • Ralph 02/02/2016 at 09:05

    Uma pena, visitei esse museu e era demais. Um acervo e uma otima estrutura, era realmente impressionante o tempo que se passava la observando as aeronaves e a historia da aviação. Uma grande perda, espero que em breve encontrem um lugar para reabrir.

    Reply
  • Thiago Giacomelli 02/02/2016 at 10:39

    Aff, esse Haddad é uma lástima para cidade de São Paulo, mas esse ano tiramos ele…

    Reply
    • Marcelo José de Souza 02/02/2016 at 14:36

      E quem colocarão no lugar?

      Reply
    • Luiz Henrique 02/02/2016 at 15:32

      UUFFFFFA!

      Reply
    • SavianoMarcio 05/02/2016 at 10:01

      Não vai adiantar pois a cabeça do povo é sempre a mesma.

      Reply
  • Alexandre Fontana 02/02/2016 at 13:46

    Vai tudo mal nesse país, não só a cultura. A única coisa que vai bem é a vida dos políticos, essa vai cada vez melhor.

    Reply
    • Luiz Henrique 02/02/2016 at 15:30

      CERTEZA!

      Reply
  • Fabio F. Oliveira da Silva 02/02/2016 at 23:21

    Apesar de em momento algum essa possibilidade ser citada na materia, espero que o acervo não vá para as mãos do pode público. Seria o fim de uma história. São itens raros, de alto valor historico e financeiro, e eu duvido da capacidade dos governos em manter peças como essas em perfeito estado, como estão. São Carlos é distante da capital, portanto, entendo que a transferencia seria muito benefica, seja onde for. Aguardemos…

    Reply
    • Douglas Nascimento 03/02/2016 at 09:21

      Ontem o museu emitiu uma nota oficial e disse que o museu está fechado “temporariamente” vamos ver o desenrolar nas próximas semanas (ou meses ou anos)…

      Reply
  • Analia Goueste 06/02/2016 at 23:29

    Pior so um terremoto de 9 graus na escala de Richter !

    Reply
  • danielpardo2015 07/02/2016 at 22:50

    Eu não sei o que é pior, se é a administração do “Radard” (que de tão ruim conseguiu a façanha de fazer o povo paulistano se esquecer da CONTROLIXO do “Kassaba”), ou se é o fato de não ter sequer UM ser vivente digno para por no lugar dele.

    Reply