Uma das matérias mais lidas diariamente aqui no São Paulo Antiga é a que fala do Arco do Triunfo de São Paulo, que aborda a construção de um monumento para recepcionar o então Presidente da República, Epitácio Pessoa, na capital paulista em 1921.

Desde então tenho recebido alguns emails questionando se este foi o único arco do triunfo construído em São Paulo ou se houveram outros. Com uma pesquisa descobrimos pelo menos outros dois arcos e iremos abordá-los todos aqui no site.

Hoje falaremos de um destes arcos, mas antes vamos falar o motivo dele ter sido erguido:

Crédito: Correio Paulistano

Era o início do mês de fevereiro de 1908 e não se falava outra coisa em São Paulo que não fosse a chegada da comitiva presidencial na capital. Em uma época em que as viagens presidenciais era mais raras e custosas, não era todo dia que um presidente visitava sua localidade, então quando isto acontecia, as cidades paravam para recepcionar a figura presidencial da melhor maneira possível.

A vinda de Afonso Pena (ou Affonso Penna na grafia da época) era esperada para celebrar a inauguração das novas bitolas largas da Estrada de Ferro Central do Brasil até a capital paulista, além de mais um prolongamento da Estrada de Ferro Sorocabana e de mais um trecho da ferrovia Noroeste do Brasil.

De todos os presidentes brasileiros, nenhum outro estimulou tanto a ampliação e modernização da malha ferroviária como Afonso Pena.

Recorte do jornal Correio Paulista de 13/02/1908

Recorte do jornal Correio Paulista de 13/02/1908

O Governo do Estado de São Paulo preparou uma inesquecível recepção ao Presidente da República, que somente seria superada em 1921, na ocasião da visita de Epitácio Pessoa.

O evento mobilizou empresários, políticos e comerciantes de São Paulo, para que o evento fosse feito sem falhas e que causasse uma excelente impressão ao presidente.

Para isso, o Palacete Prates foi ofertado para ser a residencia oficial do presidente e de parte de sua delegação durante sua estadia na capital. A oferta partiu do próprio dono do imóvel.

Além disso uma das maiores empresas da época, a Light, ofereceu algo memorável: decoração com lâmpadas coloridas na Praça Antônio Prado e, o mais interessante, um Arco do Triunfo decorado com inúmeras lâmpadas elétricas, um grande feito para aquela época.

Foto: Fundação Energia e Saneamento / Acervo da Light (clique para ampliar)

Foto: Fundação Energia e Saneamento / Acervo Light (clique para ampliar)

Apesar de não parecer observando a foto, o arco ficava bem na entrada do Viaduto do Chá, bem próximo ao Palacete Prates. O arco era bem arrojado para sua época em São Paulo, 1908, e causava um grande impacto visual a todos que o observavam, atraindo inúmeros curiosos não apenas na ocasião da passagem presidencial, como também durante os testes de funcionamento.

O Presidente da República Afonso Pena ficou apenas um dia e uma noite na capital paulista, partindo no dia seguinte para Campinas, onde prosseguiu nas visitas de inaugurações ferroviárias.

CURIOSIDADES DA VISITA PRESIDENCIAL DE 1908

A visita de um Chefe de Estado necessita de um grande número de aparatos de segurança, uma grande comitiva, roteiro pré-definido, escolta de gala e uma série de normas que devem ser seguidas. Com a visita de Afonso Pena não foi diferente e trazemos aqui alguns dados curiosos da ocasião.

Fonte: Museu Histórico Nacional

Fonte: Museu Histórico Nacional

Veículos: O Presidente da República foi a frente transportado em uma carruagem chamada de carro à daumont (foto acima). O restante da delegação foram em fila em um total de 13 landaus, que eram carruagens um pouco menores e que comportavam 4 pessoas, sentadas duas frente a frente.

Itinerário: Estação da Luz, Rua Florêncio de Abreu, Largo de São Bento, Rua São Bento, Rua Direita, Viaduto do Chá, Rua Barão de Itapetininga, Praça da República, Rua dos Timbiras, Rua Guaianases, Avenida Rio Branco e volta ao Palacete Prates (os nomes das ruas foram atualizados para os nomes atuais).

Guarda Presidencial: Foram designados 24 praças, todos eles sob o comando de um único oficial.

Por fim, o recorte abaixo faz uma descrição dos aposentos presidenciais no Palacete Prates e de outros ambientes do edifício:

Recorte do jornal Correio Paulistano

Recorte do jornal Correio Paulistano

Você também pode gostar da seguinte matéria:

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • waldenir dornellas 18/03/2015 at 15:59

    Pelo que se tem visto, atualmente a recepção do presidente (a) não é assim tão festiva.

    Reply
  • JORGE ROBERTO COELHO FERREIRA 18/03/2015 at 19:15

    Ia ser bem interessante um arcos desses para a Dilma, se qui ela viesse por estes dias !!!!!!

    Reply
    • derwolfstein 18/03/2015 at 19:51

      Para proporcionar a ela um salto de Bungee jumping, mas sem cordas!!

      Reply
      • SavianoMarcio 23/03/2015 at 17:33

        Para todo mundo ficar feliz e deixar os outros 99,9% livres? Pensamento bem brasileiro.

        Reply
    • danielpardo2015 19/03/2015 at 19:41

      Colega, do jeito que o povo está “no veneno” com “Titia Dilma”, um arco desses só seria construído para ela se tivesse uma forca no centro dele.

      Reply