Quem não se lembra do saudoso jornalista Murilo Antunes Alves ? Um dos grandes nomes da imprensa brasileira, Murilo nos deixou em 15 de fevereiro de 2010. Participante da TV Record desde sua fundação, em 1953, cobriu em sua trajetória alguns dos momentos mais marcantes do século XX, como a ida do homem à Lua e a morte do ex-presidente dos Estados Unidos, John Kennedy. Até falecer ainda era funcionário da emissora, sendo até então, o mais antigo empregado da casa.

Murilo Antunes Alves possuia um belíssimo casarão na cidade paulista de Itapetininga, uma linda construção e motivo de orgulho para toda a cidade. Contudo, 4 meses depois de sua morte, isto não foi levado em consideração e a antiga residência deste memorável jornalista veio abaixo. Um desrespeito não só a memória de Murilo Antunes Alves, como de sua cidade:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Leiam abaixo, texto assinado por Moracy Oliveira que alertou o site São Paulo Abandonada & Antiga sobre o triste ocorrido e no final um link para um abaixo assinado online. Se você, tal como nós, importa-se com a preservação do patrimônio histórico não deixe de assiná-lo. Assim, quem sabe poderemos evitar que outras construções importantes virem pó, assim como aconteceu com o casarão de Murilo Antunes Alves. No final, confiram um triste vídeo mostrando a demolição do imóvel.

O que restou (clique para ampliar) – Crédito: Mike Adas/Correio

O Texto:
Foi no domingo, 13 de junho, que o casarão dessa foto veio abaixo para dar lugar a um estacionamento. Ele ficava em Itapetininga, cidade 170 kms distante de São Paulo, e que tem sua origem no século 18, como ponto de parada na rota dos tropeiros que viajavam com suas tropas entre o Sul do País e Sorocaba, onde o comércio de animais era feito. Ocupava a esquina da rua Monsenhor Soares com a Praça Duque de Caxias, mais conhecida como Praça ou Largo da Matriz, por ser também o endereço da catedral da cidade, um espaço simbólico para a comunidade local. Pertencia a família do jornalista Murilo Antunes Alves, famoso por suas entrevistas e autor de uma das poucas feitas com o escritor Monteiro Lobato, e que faleceu recentemente aos 91 anos. Como tantos outros já demolidos, o imóvel foi vítima da ganância imobiliária e do descaso das autoridades municipais, principalmente estas, que jamais regulamentaram um Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Itapetininga, criado em 1996, o que, se feito, teria evitado não só esta demolição mas inúmeras outras que vem dilapidando a memória local. Diante desse quadro, um grupo de cidadãos itapetininganos resolveu lançar o manifesto que se encontra abaixo e que deverá, acompanhado de um abaixo-assinado, ser encaminhado as autoridades.

O que restou (clique para ampliar) – Crédito: Mike Adas/Correio

O Manifesto:

Uma cidade vive também de sua memória. A Constituição Federal, em seu artigo 216, define patrimônio cultural brasileiro como aquele que compreende “os bens de natureza material e imaterial tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade”. A mesma constituição afirma que a “preservação dos bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e afetivo para a população” pode ser garantida por ato administrativo do Poder Público em nível federal, estadual ou municipal (BRASIL. Constituição, 1988).

Itapetininga, desde 1996, tem um Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico mas, estranhamente, nenhum prefeito regulamentou ou instalou tal conselho. Enquanto isso, nossa memória tem sido insistentemente vilipendiada, desprezada, agredida, já que a cidade, muito rapidamente, vem sendo desfigurada. Sem referências, seremos todos estranhos nela, a continuar essa situação.

O fato mais recente foi a demolição da casa de Murilo Antunes Alves, no Largo da Matriz. Filmada, ela nos levou a um momento doloroso, quando uma parte de nossa história foi estupidamente apagada, pancada por pancada. Mas existiram outras tantas que, infelizmente, não puderam ter a mesma visibilidade proporcionada pela divulgação do vídeo.

Esses fatos motivam o abaixo assinado: ao mesmo tempo que protestamos, reivindicamos às autoridades de nossa cidade a regulamentação e a instalação do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Itapetininga, o mais rápido possível. Solicitamos também que, enquanto isso não acontece, a Prefeitura e a Câmara assumam um compromisso público de garantir a suspensão de demolições no centro expandido da cidade para evitar ações de vandalismo contra nosso patrimônio.

Link para o abaixo-assinado:
http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/6440

Vídeo da demolição:

Atualização: 09/02/2011
Confira novas fotos do local realizadas no mês de janeiro de 2011 por Glaucia Garcia de Carvalho (clique para ampliar).

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Ralph Giesbrecht 04/07/2010 at 17:57

    Embora eu não conheça nem a família, nem a sua situação financeira, eu acho que, se havia um movimento da cidade pedindo a preservação da casa, qualquer venda deveria ser postergada para avaliação. Realmente, não há compromisso nenhum da população com a preservação de valores, quando há muito dinheiro envolvido. É um fato e está difícil de ser mudado neste país. Só se pensa em dinheiro, efetivamente. Qualquer outra coisa fora do fator DINHEIRO é irrelevante, infelizmente.

    Reply
    • Rosana 01/09/2010 at 22:42

      Uma belíssima construção. Ao invés de tombarem o bom gosto ao “chão”, deveriam tombar como patrimônio. è de entristecer mesmo e, lamentar. lamentar muito. Que pena!

      Reply
  • ricardoamaral: Coisas que… | Planner Collective Tweet Farm 04/07/2010 at 19:25

    […] @ricardoamaral: Coisas que me dão um ódio desgraçado: http://saopauloabandonada.com.br/o-casarao-de-murilo-antunes-alves/ […]

    Reply
  • Celso Alderighi 04/07/2010 at 19:31

    Meu amigo quando a gente conhece a Europa, fica impressionado com a falta de interesse do brasileiro em não se importar com a nossa historia (que embora não seja tão antiga como a deles)não deixa de ter grandes passagens que deveriam obrigatoriamente serem conservadas para que nossa juventude soubesse de onde viemos.Abraços Celso

    Reply
  • Gustavo Moreira 04/07/2010 at 21:06

    Tristeza, vazio, pobreza de cultura.
    Estou divulgando a petição, abraço.

    Reply
  • Clara vieira de moraes 04/07/2010 at 23:27

    Que pena, parte da nossa história demolida sem piedade nem coração.
    É de doer o coração assistir o filme,ver cada pedaço caindo no chão
    e ninguém fazendo nada para impedir.
    Meus pesâmos povo de Itapetininiga!!!
    QUE PENA!!!!!

    Reply
  • Neuza Guerreiro de Carvalho 05/07/2010 at 08:42

    Ninguem mais do que eu sente na pele o quanto é dolorosa uma demolição. Lembrem-se do Palacete Glette – na esquina da Alameda Glette com rua Guaianases – que durante décadas sediou uma parte da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo. No inicio da década de 70 foi demolido, perdendo os mais de mil glettianos a sua referencia. Agora um estacionamento, felizmente mantém uma árvore, a Figueira da Glette, muito reverenciada e cuidada. É toda uma história de referencia PASSADO – PRESENTE – FUTURO.

    Reply
  • Francisco Folco 05/07/2010 at 12:50

    Se o Titanic está afundando, o melhor a fazer é procurar um barco salva-vidas, e não ficar reclamando do iceberg.
    Estamos reclamando muito do iceberg. Não vai adiantar nada.
    Acho que todos nós deste forum estaria disposto a colaborar com algum grupo de jovens de alguma universidade que fizesse um movimento aos moldes do Green Peace” para manifestar na prática, na rua, a proteção do patrimônio da população. Torço muito para que isto pudesse acontecer. Quem sabe, com um incentivo dos professores de arte e história, não pudesse dar sementes numa USP.

    Reply
    • melissa 01/08/2011 at 14:53

      aqui em curitiba fizemos um “paredão” na época de adolescentes contra a demolição da casa de um antigo governador só corremos perigo á toa pq as máquinas de demolição ficaram de plantão só aguardando a decisão judicial na primeira decisão favorável a demolição a pancada contra o casarão foi tão forte q já ñ restava mais nada q pudesse ser aproveitado.

      Reply
  • Claudio Matias Munhoz Soares 05/07/2010 at 18:11

    Em minha infância o casarão era conhecido como como sobrado do “Prof. Antonio Antunes Alves” ilustre personalidade de Itapetininga, homem de muita cultura, pai de Murilo Antunes Alves. Aos poucos Itapetininga vai perdendo sua memória. É triste.

    Reply
  • José Augusto dos Santos 06/07/2010 at 07:24

    É chocante!!! Cadê as autoridades públicas da cidade? E o Ministério Público, não fez nada? É um absurdo! “A autoridade sem sabedoria é como o machado sem fio, que tende mais a estragar do que a cortar”. …segundo o poder que o Senhor me deu para edificação,e não para destruição. 2 Coríntios 13.10.

    Reply
  • Ricardo 06/07/2010 at 14:33

    Concordo com Francisco Folco. Enquanto não fizermos (e lutarmos) por leis que dificultem a destruição de prédios desse tipo, fica difícil pedir algo. Em teoria, nada impede os novos proprietários de destruir patrimônio. Além disso, há muitos casos em que os proprietários preferem deixar o imóvel apodrecer para poderem depois construir algo novo no lugar. As leis, por sinal, não ajudam quem se interessa em retrofitar esses imóveis, o que os tornam custosos. Enfim, mudanças que devem ser feitas no Legislativo e que devem ser encampadas pelos próximos deputados.

    Reply
  • Daniel 07/07/2010 at 11:31

    É lamentável a atuação da Administração/Poder Executivo local, revelando desinteresse e desconhecimento por diversos assuntos de interesse público ou coletivo. A memória e sua preservação está entre eles.

    Reply
  • João Gimenez 09/07/2010 at 21:10

    Com as cenas do vídeo, parece que sinto o mesmo sentimento do proprietário. “seus herdeiros terminaram de o enterrar”.

    Mto triste e a trilha sonora não podia ser mais adequada.

    Reply
    • Maria Jose Evangelista 20/08/2017 at 18:41

      Verdade,a responsabilidade de cuidar do e toda da família,eles deveriam ser processados por esse ato de desamor e de preservação de algo tão bonito e de valor que deveria ser sentimental.Mas dinheiro é tudo nessa vida mesmo.Lamentável.!

      Reply
  • Eduardo Britto 16/07/2010 at 08:21

    Parabéns pelo maravilhoso trabalho do site. Imenso REPÚDIO por esse crime de lesa-Piratininga. Repararam em uma foto à distãncia, que não tem nenhum prédio em volta? O que será construído ali, pelo amor de Deus? Verdade que todos nós precisamos de dinheiro quase como de ar… mas essa família certamente não estava na penúria, pra dilapidar assim imediatamente um patrimônio desses. Usando a cabela, o imóvel daria dinheiro de outra forma. Imbecis!

    Reply
  • José A. Matelli 21/07/2010 at 12:22

    Sugiro também um boicote ao estacionamento. No que depender de mim, a ganância dessa gente não vai ver um centavo meu.

    Reply
  • Elisabeth Amaral 21/07/2010 at 20:04

    Moro nessa cidade desde 1989,o que mais tenho como referência, são essas construções maravilhosas que dão vida a essa cidade histórica.
    Não cansava de admirar esse quarteirão tão magnífico! História, alma, vida de pessoas ilustres…já não basta o que estragaram dos prédios das escolas centrais? Como construções como essas,alguém tem o direito de mexer sem o mínimo de consciência? Onde está a cultura desta cidade que é conhecida como a cidade das escolas?
    Espere aí? Onde estão os nossos governantes? Estão querendo acabar com a cidade? Seremos um povo sem alma, sem história? Não existe outro meio de se ganhar dinheiro? Temos poucos espaços? O município é pequeno? Realmente é triste! Isso porque não sou itapetiningana, mas não me conformo! E sinto muito receio pelos próximos…

    Reply
  • José Wellington Porto 21/07/2010 at 21:55

    Eu nasci em São Paulo, mas conheci a cidade de Itapetininga, no começo dos anos 70. Ali passei bons momentos, em companhia de amigos locais. Há muito não vou até lá, somente passando, em viagem, fora da cidade; porém, lastimo que a proteção constitucional do patrimônio artístico, cultural e arquitetônico esteja sendo olvidada em Itapetininga, assim como em todas as cidades do país… Memória? Para quê? Continuemos surdos e insensíveis, somente atentando para a nossa imediata sobrevivência: comida, casa, carro e…túmulo! Ainda, continuemos a imaginar que essa dor é alheia e que a dor do outro não merece nossa inquietação; nossa dor logo chegará e ninguém nos consolará…

    Reply
  • almeida 23/07/2010 at 21:00

    triste,muito triste,e é assim com tudo que faz parte da historia

    Reply
  • Passado Brasileiro 25/07/2010 at 19:56

    Quando entrei nessa postagem e vi a foto do casarão, achei magnifica… Mas quando continuei lendo o texto me deparei com o vasio, me bateu uma trsistesa so!!!

    Muito triste!!!!!

    Ja assinei o manifesto! Espero que mais pessoas assinem!!!

    Reply
  • Danilo Tófoli 27/07/2010 at 15:53

    Ando visitando o site pois achei muito interessante, vendo uma cena dessas eu que não sou da cidade fiquei triste de ver uma linda casa dessa sendo demolida, o video então é de cortar o coração.
    Fico revoltado pois na minha cidade até a primeira casa da cidade foi demolida, um patrimonio que deu inicio a toda a nossa história.
    Sou de São João da Boa Vista interior de São Paulo e quem conhece cidade e o nosso teatro municipal nem imagina que ele quase foi demolido, mas o patrimonio historico do estado barrou e recentemente o teatro foi restaurado e esta muito bem cuidado, é só procurar o video de nx zero com a musica cedo ou tarde o clipe foi gravado no nosso teatro, convido a todos a assistirem. abraços.

    Reply
  • Freddy Forner 27/07/2010 at 15:56

    Sabe o que é pior? Geralmente, com o dinheiro que essas “pessoas” ganham com esses crimes contra a história, elas embarcam para Paris, para ver o quanto linda é a Cidade Luz!

    É um pouco forte o que vou dizer, mas torço para que todo o dinheiro que receberam com essa demolição não sirva de nada para os proprietários, e que eles percam tudo sem que possam desfrutar de nada.

    Reply
  • Yuri Bittar 29/08/2010 at 16:19

    Estive lá em JANEIRO desse ano e a casa estava linda, em perfeito estado, vários usos dela poderiam gerar renda, se fosse esse o problema.
    Vejam como ela estava: http://www.flickr.com/photos/yuribittar/4370518046/in/set-72157623233953896/
    Itapetininga tem muitas belas casas, pois teve uma fase de crescimento significativo. Mas agora elas estão todas desaparecendo em alta velocidade!

    Reply
  • suli scatena 20/09/2010 at 22:23

    Mas que pena, uma belíssima construção e muito bem conservada… num País onde o povo é inculto e não tem memória, dá nisso.
    Aqui só o que tem valor é “big brother”, TV Globo com suas novelas destrutivas e programas de comédia feito para “dementes”. O resto é resto, deixa demolir.
    O Brasil precisa acordar, temos um bela história que precisa ser passada às futuras gerações.

    Reply
  • Diego Pollon 27/10/2010 at 19:29

    A familia devia estar passando fome, só pode! Ou são daqueles tipos miseráveis que quando morre um familiar correm como urubus atrás do que sobrou! Realmente lamentável!

    Reply
  • Jean 22/11/2010 at 22:10

    Fiquei literalmente chocado com esta matéria, não sou de SP, conheço este site já a algum tempo, quando vi esta casa pensei, que bom está preservada! Para minha surpresa ao ler a matéria vi que foi demolida, em excepcional estado de conservação ao chão,queira Deus que este senhor Jornalista famoso e conhecido por todos não tenha sido materialista, se foi, imaginem o quanto este senhor sofreu ao ver sua casa sua morada sendo demolida de maneira tão vil, autorizada por seus familiares, lamentável nada se preserva no Brasil, tudo é ganância por dinheiro, e como já vi por aqui, o Brasileiro vai para Europa admirar construções antigas, enquanto isso por aqui nota ZERO!!!Em preservação.
    Esta família é que estava de olho no dinheiro deste terreno, pois o Jornalista era funcionário antigo da Record e de renome, um senhor sério e correto, com certeza suas despezas estavam em dia, mas quanto a família?!!! Não sei não. Lamentável.

    Reply
  • CHICO METE FERRO 24/11/2010 at 14:46

    Meus queridos internautas, que AUTORIZOU A DEMOLIÇÃO, foi a PEFEITURA DE ITAPETININGA, sabe pq eles não tem nenhum cadastro sobre o patrimônio hsitórico de cidade, não tem nada sobre o que está tombado, é mole, agora com este episódio estão acordando.

    abçs

    chicão mete ferro

    Reply
  • João Telles 01/01/2011 at 05:44

    Acompanho este site desde muito, e posso dizer sem medo de errar que esta foi a notícia mais triste que li aqui, a demolição da residência do inesquecivel Murilo Antunes Alves, o último Reporter Esso – uma bela construção preservada nos mínimos detalhes, desde as arandelas até o piso em cerâmica em seu exterior, o que revela o grande amor que este insignie jornalista certamente nutria por esta vivenda. Nem mesmo as janelas foram substituidas por outras mais atuais! Isso sem falar no interior da residência que não chegamos a conhecer…
    Uma família que quatro meses após a morte de um ente derruba sua casa revela-se um grupo de pessoas sem o menor escrúpulo, sem respeito à memória do falecido e à sua própria. Que ignorância atrelada à ganância que jorra nestas veias! Que insensibilidade! Que vergonha de família!

    Reply
  • Áler Matos 05/02/2011 at 02:48

    Doloroso ver essas imagens…
    Uma pessoa histórica e um patrimônio histórico tbm, 2 destruições em 1 só.

    Reply
  • marcos Antonio Telles de Camargo 08/02/2011 at 02:07

    Uma cena muito triste. Sou Itapetiningano e moro em Nova York. Quando estive em janeiro em visita a minha cidade, por acaso passeando ao redor da praca Foi dificil acreditar no que vi, pura indignacao. Uma dos sobrados mais belos, que sempre admirei. Que pena,um grande descaso. Na verdade o que se derruba, e o carater desses familhares famintos e a incompetencia das autoridades municipais. Muito ironico, como o nosso hino diz… “Nossos olhos comtemplam agora, essa joia que e Atenas do
    Sul.”

    Reply
  • Douglas Nascimento 09/02/2011 at 18:19

    Pessoal, artigo atualizado com cinco novas fotos do local.

    Reply
  • Rita Ribeiro 13/02/2011 at 18:34

    É uma pena terem demolido esse belo casarão… Sou da capital paulista, nunca estive em Itapetininga… É um absurdo a prefeitura tomar essa atitude de derrubar em vez de tombar

    Reply
  • Helio Augusto 02/03/2011 at 20:18

    É lamentavel,pois segundo um internalta, disse que a prefeitura não tem nenhum dado sobre imóveis a serem tombados, mas isso é por culpa dos incopetentes dos políticos e também das pessoas que votam nesses analfabetos para governar.
    Hélio Augusto.

    Reply
  • JLPEREIRA ZUCCERONNI 05/06/2011 at 12:30

    Como é triste ver a “morte” de 2 monumentos como vimos no filme! Porque MAA, foi é e será um monumento eterno do jornalismo brasileiro. E o outro, assistir sua belissima moradia ser demolida assim, sem mais nem menos… Ai perguntamos, onde estão nossas Excelentissimas “otoridades?” Onde está o interesse das diats em preservar nossa memória cultural? Infelizmente, estão mais interessadas é em preservar outros “ideiais” de interesses próprios!
    LAMENTÁVEL ACONTECER ISSO!
    Confesso que chorei ao assistir o vídeo, pois vi algumas vezes a maravilhosa obra!

    Reply
  • MARGARETE 25/10/2011 at 01:50

    Emocionada escrevo estas linhas, assisti o video da demolição e chorei…
    A unica resposta que me vêm é que a familia de Murilo não devia se dar bem, percebe-se que a casa foi demolida e nem janelas e portas retiraram, com é de costume se fazer para revenda, o que deixa nitido uma relação de ódio nessa familia…
    Triste para todos, que não souberam honrar a memória de Murilo que participou de grandes eventos da nossa história…
    Dá pra sentir a raiva e ressentimento dessa familia…
    Não é só mais uma descaso, mas parece que queriam mesmo apagar o que esse homem construiu…
    E assim mais uma vez, a mesquinhez e ganância venceu…

    Reply
    • Adriana de Souza 18/04/2014 at 17:57

      Eu tive a mesma impressåo que voce! Sério…!

      Reply
  • Amanda Pignataro 04/11/2011 at 19:45

    MUITO TRISTE! DEVE SER CRIADA UMA LEI IMPEDINDO ACONTECIMENTOS COMO ESSE. MAS, INFELIZMENTE…HOJE EM DIA, AS PESSOAS SEMPRE COLOCAM O DINHEIRO EM PRIMEIRO LUGAR, ANTES DA NATUREZA, PATRIMÔNIOS HISTÓRICOS E ETC.

    Reply
  • Ariane Diniz 25/11/2011 at 21:51

    Quando eu tiver dinheiro pra comprar um desses casarões de São Paulo não vai existir mais nenhum ;x

    Reply
  • guilherme salles de campos 17/01/2012 at 23:18

    MEU DEUS QUE BARBARIE ,CADE O MINISTERIO PUBLICO DESTA CIDADE ,O PREFEITO OS VEREADORES,QUE INCOPETENCIA ,ASSONBROSO PARECE CENA DA DEC DE 70,SEM CONTAR O METODO DE DEMOLIÇÃO PONDO EM RISCO OS TRANSEUNTES,E O DESPERDICIO DE MATERIAL A MEMORIA DA CIDADE….. CHOCANTEEEE ESTREMAMENTE BOÇAL,QUE TRISTEZA P AS PESSOAS DE BEM DESTA CIDADE,TRISTE,QUE ESTE LAMENTAVEL EPISODIO SIRVA DE LIÇÃO P QUE SE APROVE O CONSELHO DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO DE ITAPETININGA,ESTA ADMINISTRAÇÃO DEVERA CONSTAR DOS ANAIS DA HISTORIA DA CIDADE COMO A RESPONSAVEL P TRAGEDIA,QUE VERGONHA!

    Reply
  • Rosângela da S.mello 11/03/2012 at 17:17

    Rosângela mora Sorocaba! eu passado já familía Itapetininga muda Sorocaba até…… abraço bjssssssssss:( chor saudade historico casa fim;(
    !!!

    Reply
  • reynaldo 15/04/2012 at 23:12

    Admirava muito os “trocadilhos” feitos pelo Murillo Antunes Alves.Excelente jornalista,critico,Quanto a Casa demolida. UM CRIME,UM ASSASSINATO. “cada taboa que caia, doia no coração” O Maluf também fez isso com minha casa na Rui Barbosa,l67 no Bixiga (tenho a Foto.) e sei o quanto doeu para os que amavam a casa do Murillo. choro. FIM

    Reply
  • reynaldo 15/04/2012 at 23:16

    Admirava muito os “trocadilhos” feitos pelo Murillo Antunes Alves.Excelente jornalista,critico,Quanto a Casa demolida. UM CRIME,UM ASSASSINATO. “cada taboa que caia, doia no coração” O Maluf também fez isso com minha casa na Rui Barbosa,l67 no Bixiga (tenho a Foto.) e sei o quanto doeu para os que amavam a casa do Murillo. choro. FIM – Realmente eu já havia citado em outra ocasião a demolição feita em minha casa, mas não pude deixar de renovar os protestos contra esses tipos de crime feitos por autoridades desumanas como essas.Mantenho o que escrevi, e nunca esquecerei o que aconteceu.Muita gente ainda não leu.Obrigado

    Reply
  • reynaldo 15/04/2012 at 23:19

    retiro o que disse do Maluf, ele é honesto, digno, honrado, e nunca prejudicou ninguem.

    Reply
  • antonio machado 22/07/2012 at 17:48

    a administracao de itapetininga nao se preocupa em preservar o passado,muinto menos garantir o futuro de seus munícipes.Moro no bairro Jurumirim,hoje pertencente a Itapetininga,por causa da receita do pedágio existente na antiga divisa,bairro esse carente de qualquer benfeitoria,Um total desrespeito aos cidadaos.Essa administracao se preocupa com a receita e nao retribui,em nada, à populacao. É uma vergonha.

    Reply
  • Suely 27/02/2013 at 01:21

    Nasci,estudei e vivi momentos maravilhosos nesta cidade.Cresci sonhando com essa casa,imaginando como seriam seus cômodos…Hoje tive a triste notícia( pela minha filha) e vi uma parte da demolição, não aguentei ver o fim de meu sonho infantil.Meu sonho havia amadurecido: entrar na casa com meu marido, meus filhos e minha mãe, que foi aluna do profº “Tunico” Antonio Antunes Alves.Interessante, tal como na Alameda Glette também deixaram uma árvore…Por quê?…

    Reply
  • Fabiula Weiss 27/02/2013 at 14:47

    Minha mãe nasceu, viveu e AMA esta cidade….Quando eu era criança, sempre íamos à Itapetininga visitar os parentes, como fazemos até hoje….e todas as vezes que íamos à cidade, minha mãe sempre me contava sobre o casamento da irmã do Murilo, quando estenderam um tapete vermelho até a igreja Matriz…..Fiquei chocada ao ver esse CRIME….Com qual objetivo??? O terreno continua lá, com o mato crescendo!!! Eu não chamaria os herdeiros de “família”: são verdadeiros ABUTRES, gananciosos, VAZIOS…Vazia mesmo ficará a cidade…..pouco a pouco a memória vai se esvaindo, literalmente virando pó!!!
    Muito triste, desolador….

    Reply
  • Luiz Galvão Idelbrando 28/02/2013 at 08:04

    Infelizmente neste pais a única coisa que é lembrada com frequência é que nada é lembrado ou reverenciado, belíssima construção que talvez tivesse que ser tombada, derrubaram. Esqueceram-se que foi um jornalista pioneiro, um dos únicos a entrevistar José Bento Monteiro Lobato e dois dias antes de sua morte. Pobre povo brasileiro

    Reply
  • Edilaine Cleto 02/10/2013 at 13:21

    Minha família reside em Itapetininga, e infelizmente não vemos as casas históricas sendo tombadas, Itapetininga está ficando cada dia mais “sem memórias”.
    A casa foi derrubada sem que a população tivesse conhecimento, de um dia para outro, gerando muita indignação!

    Reply
  • Leandro Jordão 02/10/2013 at 22:08

    Tenho 22 anos e nasci em Itapetininga, eu tinha e tennhoum encanto incalcúlavel por esse casarão, chorei no dia que estava voltando da escola e ele não estava mais ali, mesmo antes de conhecer a história de seus moradores eu tinha uma certa ligação com o lugar, é uma coisa meio inexplicavel, sempre fui apaixonado por construções antigas mas esse casarão ele era especial, enchia os olhos de quem os via, quanto aos herdeiros não irei culpa-los, pobres almas consumidas pelo material, o único amparo que tenho hoje é minha doce memória, agradeço por te-la mas entristeço por nenhuma geração após a demoliçao poder sentir o mesmo. Itapetininga ainda tem muito o que crescer, e esse crescimento não é na conta bancaria, boa vida a todos.

    Reply
  • Claudia Fischer Fleury 05/12/2013 at 23:20

    Passei minha infância vendo essa casa praticamente todos os dias, eu morava no mesmo quarterão, realmente era maravilhosa, quando vi que ela “sumiu” fiquei inconformada, estou fora de Itapetininga tem 31 anos, quando vou prai sinto falta de algumas casas, entre elas uma que ficava na Julio Prestes com Campos Sales, era linda, cor de rosa,
    é uma pena que não tem uma autoridade interessada em preservar essa historia

    Reply
  • Fabiula Weiss 13/01/2014 at 10:36

    Ontem, 12/01/2014, estive em Itapetininga e fiz questão de passar pelo terreno. Relutei um pouco, mas fui com minha mãe, que ama esta casa tanto quanto eu. De perto, é algo que causa dor física. è perturbador ver aquele terreno vazio, apenas com um outdoor ficando onde seria o jardim da casa e o mato crescendo…Chorei, com o carro parado ali em frente, com aquela chuva fina caindo, como se a alma da casa, ainda viva, chorasse comigo também. Malditos sejam estes herdeiros que fizeram questão de demolir a casa com tudo o que estava dentro, incluindo livros, pratarias e memórias!

    Reply
  • Fuji Ronack Homby 16/01/2016 at 03:27

    Janeiro de 2014…..a última manifestação. The end.

    Reply
  • ITALO POLI JUNIOR 08/03/2016 at 09:28

    VERDADEIROS CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO HISTÓRICO/CULTURAL. AQUI EM JAÚ JÁ ACONTECEU TAMBÉM E AGORA, COM A LEI DO TOMBAMENTO, HÁ MENOS ESPAÇO PARA OS DESTRUIDORES.

    Reply
  • Ana Maria 08/03/2016 at 10:56

    É uma pena ver o que acontece com o patrimônio històrico no Brasil .Muitas destruições foram feitas aguardando vantagens econômicas esquecendo que a memória do passado não pode ser destruída ..

    Reply
  • Marcelo 20/02/2017 at 17:58

    Pelo que vejo, por que demolem o que está em perfeito de conservação? Pior ainda é que quem ordena fica impune. Acho que crimes ao patrimônio histórico, não importando quem os faça, devia ser punido com prisão perpétua sem regalias. Que poderei eu dizer no tempo que morei em Campinas, de 1973 a 1994?

    Reply
  • Marcelo 20/02/2017 at 18:01

    Que fizeram da imagem de Sto. Antonio segurando o Menino Jesus? Será que pulverizaram ou marretaram na demolição? Acho que em Campinas foi o que houve com a de N. Sra. do Rosário numa casa que havia no início da Avenida Brasil de lá. Também se tratava duma casa em perfeito estado de conservação.

    Reply
  • Adriano Bodo 19/05/2018 at 22:16

    Sou Itapetiningano e me sinto muito ofendido pela demolição do casarão na praça da Matriz em Itapetininga, sempre tive vontade de conhecer por dentro esse casarão mas nunca tive essa oportunidade, nem vou ter, pois o que fizeram foi um crime do Patrimonio Histórico da Cidade.
    Porque não me venderam? Eu faria um empréstimo do valor que fosse, ficaria devendo até o que não tivesse para comprar essa casa.
    Lamentável, no terreno onde era o casarão agora estão erguendo um prédio que não combina nenhum pouco com o centro da cidade.
    Espero que esse prédio custe bem caro, para compensar o que fizeram.
    Lamentável!!!!!!

    Reply
  • Adriano Bodo 19/05/2018 at 22:22

    Lamentável, isso é bem o tipo de pessoas que moram na cidade!

    Reply
  • Douglas D. F. 21/11/2018 at 01:16

    Caro Douglas.

    Sim, realmente estão levantando um edifício residencial de alto padrão. Não me surpreendo pelo nome dado: Edifício Cathedral. Uma parte da história se foi e estão querendo modificar a silhueta do entorno da igreja. Que aliás, esse edifício quer competir com a torre do relógio da Igreja.
    A região possui ruas estreitas e antigas, é surpreendente como permitiram a construção sabendo das condições da região.
    As fundações estão feitas. As primeiras lajes concluídas.
    Vamos aguardar e ver antes e depois.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: