A rua Vitorino Carmilo, em Santa Cecília, é uma rua bastante interessante. Ali existem muitas casas antigas, como o belo Parque Savóia e a casa onde nasceu o cineasta Mazzaropi. E vire e mexe revela surpresas como o curioso Palacete Momo:

Crédito: Douglas Nascimento  / São Paulo Antiga

Eu caminho com relativa frequência nesta rua e confesso que fiquei bastante espantado em nunca ter notado este imóvel, sempre meio escondido pela árvore que está na calçada e também pelos caminhões que estão estacionados em frente a ele quase todos os dias. Até que um dia eu observei bem a fachada, especialmente sobre as portas laterais e encontrei os seguintes dizeres, um de cada lado:

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

O nome do palacete, em um primeiro momento, parece engraçado, afinal Momo acaba imediatamente no Brasil sendo associado ao Rei Momo, figura de nosso carnaval. Entretanto, pesquisando acabei descobrindo que na Itália, é um sobrenome bastante comum, especialmente na região de Turim. Faltava agora descobrir: que Momo era esse ?

Como bem sabemos não é fácil encontrar estes dados a disposição de pesquisadores no poder público. Embora hoje os arquivos estejam bastante modernos e amplos, por muito tempo muita coisa foi deixada de lado, e as maneiras que encontrei de descobrir algo sobre este Momo foram nos arquivos de jornais e também em listas telefônicas antigas.

E em uma lista de 1961 que descobri que o sobrenome Momo vem de Ettore Momo, possivelmente o primeiro proprietário do imóvel (ou seu descendente), e também dono de um estabelecimento comercial que era instalado no térreo, possivelmente com um sócio. Era a Lourenço & Momo.

Vista parcial do Palacete Momo (clique na foto para ampliar).

Vista parcial do Palacete Momo (clique na foto para ampliar).

Voltando ao imóvel em si, esta é uma das mais belas construções da rua Vitorino Carmilo e também de Santa Cecília. Trata-se de um pequeno prédio com dois andares mais um sótão, erguido na primeira metade do século 20. No piso térreo é um salão comercial e nos demais andares trata-se, originalmente, de um apartamento por andar, sendo que cada um é acessível por um lado da edificação.

A fachada é rica em detalhes (clique para ampliar).

A fachada é rica em detalhes (clique para ampliar).

O imóvel é ricamente ornamentado em toda a sua fachada, sendo que na porção superior, onde encontra-se o sótão, há no frontão o brasão desta construção onde vê-se as letras “CM” sobrepostas. O fato de ser “CM” ao invés de “PM” de Palacete Momo ou mesmo “EM” de Ettore Momo, significa que há outro Momo ainda mais antigo e que batizou ou construiu este palacete.

Vista do pavimento superior e brasão "CM"(clique na foto para ampliar).

Vista do pavimento superior e brasão “CM”(clique na foto para ampliar).

Apesar do peso da idade o imóvel está em um excelente estado de conservação. Uma pintura bem executada pode dar ao Palacete Momo todo o resplendor de tempos passados e isso é relativamente simples de fazer. Além disso, seria legal uma atividade conjunta com seu imóvel vizinho, outra bela construção antiga que está na esquina com a Alameda Nothmann (veja foto abaixo).

Faltou bom senso ao pintar o imóvel da esquina de verde (clique para ampliar).

Faltou bom senso ao pintar o imóvel da esquina de verde (clique para ampliar).

Aliás, ao observar o belo imóvel da esquina, me veio a cabeça o seguinte: Já passou da hora do nosso Departamento de Patrimônio Histórico sair da pasmaceira que lhe é característica e executar novas ações pela cidade. Uma delas seria uma fiscalização em imóveis tombados ou de interesse histórico para evitar (leia-se proibir) que proprietários ou inquilinos façam intervenções de mau gosto nestas construções. Este sobrado da esquina é lindo, mas pintar parte dele neste verde chamativo foi uma péssima ideia.

Por fim, é gratificante descobrir um pouco da história de mais um importante imóvel paulistano, como este elegante Palacete Momo. É complicado montar a história com tantos poucos elementos mas acabamos por construir algo interessante. Se alguém mais tiver informações sobre Ettore Momo entre em contato conosco ou deixe um comentário. A memória de São Paulo agradece.

Curiosidades – Moradores e telefones deste imóvel em 1961:
Palacete Momo – Endereço: Rua Vitorino Carmilo, 206 a 212 – Santa Cecília
Número 206: José Custódio Gomes – Telefone: 52-4607
Número 208: Lourenço & Momo – Telefone: 51-6435
Número 212: Ettore Momo – Telefone: 52-8051

Veja mais fotos deste palacete (clique na foto para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

Conheça a região através de nosso mapa:

Visualizar São Paulo Antiga em um mapa maior

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Isaura Maria Accioli Nobre Bretan 28/07/2014 at 16:12

    Parabéns Douglas, bela pesquisa.Já procurou o Arquivo Historico Municipal ?eles lá tem um belo trabalho de digitalização de documentos, quem sabe?é aí no centro velho Praça Fernando Prestes.Abraços,Isaura Bretan – professora de historia e historiadora.

    Reply
  • Suli 28/07/2014 at 18:36

    Belissima matéria,ao ver estes imoveis antigos,o que estraga o visual são estes fios emaranhados,dá a impressão de sujeira,isto deveria acabar!!

    Reply
  • Ettore Malagodi 28/07/2014 at 20:25

    Parabens pela matéria Douglas Nascimento, eu sempre leio todas da São Paulo antiga e incrivelmente essa me chamou mais a atenção pois meu nome é Ettore também confesso que até fiquei surpreso em saber sobre Ettore Momo.

    Reply
    • Douglas Nascimento 28/07/2014 at 21:03

      É um xará né ? rs Abraços!

      Reply
  • Carla Silva 28/07/2014 at 20:49

    Nossa, que vontade de ver por dentro!!!!

    Reply
  • Gabrielle Este 28/07/2014 at 22:44

    Tive a mesma curiosidade da Carla Silva, fico doida pra ver essas casas por dentro! Esse palacete é lindo e deve ter uma bela história…. sou apaixonada pelo site, parabéns por trazem a nossa história de volta!

    Reply
  • Monier 28/07/2014 at 23:29

    Não sei por que ainda estava na lista em 1961. Mas em 1950 o Ettore Momo seguramente já tinha falido, e esse imóvel estava indo a leilão. Dá para ver na página 38 do Diário Oficial do Estado de São Paulo de 08/07/1950.

    http://www.jusbrasil.com.br/diarios/4121566/pg-38-poder-executivo-diario-oficial-do-estado-de-sao-paulo-dosp-de-08-07-1950/pdfView

    O texto é:

    “MOACIR CATALDI

    LEILOEIRO OFICIAL

    LEGALMENTE AUTORIZADO, VENDERA EM PUBLCO LEILAO, EM SEU ESCRITORIO, A RUA QUINTINO BOCAIUVA, N. 2.O ANDAR, SALA 4, TEL. 330242, 25, DIA 9 (NOVE) DE A_GOSTO DO CORRENT ANO, AS 15 HORAS, OS DIREITOS CABIVEIS AO FALIDO E. MOMO OU ETTORE MOMO, RELATIVOS AOS BENS IMOVEIS QUE ESTAO SNDO INVENTARIADOS PELO JUIZO DE DIREITO DA SEXTA VARA CIVEL CARTOIO DO 6.0 OFICIO CIVEL DA CAPITAL, NO INVENTARIO DE DA. MADALENA MOMO, DIREITOS •_.•SES ARRECADADOS NA FALENCIA DO REFERIDO E. MOMO, CUJO PROCESSO TEM ANDAMENTO PELO JUIZO DE DIREITO DA 13.A VARA CIVEL CARTORIO DO 13.O OFCIO CIVEL, AVALIADOS PELA IMPORTANCIA DE CR$ 200.000,00 E QUE SE REFERE AOS SEGUINTES IMOVEIS: RUA VITORINO CARMILLO 198 E 202 DA RUA CAMPINEIROS 6 PREDIOS NS. 675 A 695 DA RUA ODORICO MENDES; PREDIOS NS. 250 E 256 DA RUA AN NERY: NS. 533 E 537 DA RUA FOM PASTOR; 4 PREDIO SOB NS 701 A 713 DA RUA OEOHCO 1MANDES ITUA 2 PREDIOS A RUA NAS SO”

    Reply
  • Fábio Silva 29/07/2014 at 02:12

    Olá, Douglas! Que maravilhosa construção… É pena que não se constrói mais assim.
    Dando uma pesquisada na internet sobre o nome do Ettore Momo, achei algumas coisas curiosas…

    1) Ele ainda mora lá! Bem, ao menos assim nos diz o telelistas.net
    http://www.telelistas.net/pessoas/sp/sao+paulo/268698133/ettore+momo?q=ettore+momo

    2) Vindo do RJ, chegou à SP um tal de Ettore Momo em 08/11/1942, pela VASP
    http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=090972_09&pagfis=12892&pesq=&url=http://memoria.bn.br/docreader#

    Bem, se estamos falando da mesma pessoa, confesso que não sei. São apenas fatos curiosos. Se forem sobre a mesma pessoa só torna mais pitoresca a história dos proprietários.

    Talvez seja possível obter alguma informação no cartório de imóveis.

    Abraços.

    Reply
    • Douglas Nascimento 29/07/2014 at 08:47

      Olá Fábio,
      A lista está desatualizada, pois eu chequei antes.
      O terceiro item, por se tratar de uma condenação eu removi em respeito a pessoa pois seja lá o que for ele já cumpriu.
      Abraços

      Reply
      • Fábio Silva 29/07/2014 at 15:58

        Douglas, este é um dos motivos pelo qual admiro o seu trabalho (Glaúcia e Cacau, entre outros). Não me ocorreu que alguém (um parente ou conhecido) pudesse ser afetado por esta informação. E, por isso, peço desculpas.
        Na ansiedade de querer ajudar, acabei especulando sobre a vida de alguém que nem conheço.
        Obrigado por ter respondido (e publicado), mas, poderia ter removido meu comentário. Sem melindres.
        De qualquer forma, a qualquer outro que chegar até aqui, fica uma lição valiosa.
        Prometo que na próxima não cometerei este erro. Hehehe… Outros virão!
        Abraços.

        Reply
  • Cláudio Contro 29/08/2014 at 15:21

    Mais uma matéria admirável, parabéns a toda a equipe.

    Reply
  • Yara C. Ramos 17/06/2015 at 19:20

    Douglas, continue batalhando junto ao IHGSP para que o palacete não se degrade pelo tempo,pelo abandono, e por “intervenções de mau gosto”. Um marco da nossa arquitetura e também da n/ história !!!!!!!!!! Que tal organizar um “movimento” p/ a revitalização do PALACETE MOMO. Ele merece, não é mesmo ??!! Conte comigo!!! Uma sugestão: – Fotografe e divulgue o interior do imóvel, ressaltando detalhes interessantes.

    Reply
  • Ricardo Bessa Gonçalves 19/12/2017 at 17:49

    Gostaria de saber se tem como se comunicar com alguém que administra este imóvel

    Reply
  • Marcelo 11/02/2018 at 10:17

    Douglas, Momo na mitologia grega era uma divindade sem senso estético: aparece numa das fábulas de Esopo.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: