No final de 2010 publicamos aqui o artigo “Por dentro do Estadão“, onde mostrávamos o cotidiano do jornal O Estado de S. Paulo entre os anos de 1917 e 1918. A matéria fez bastante sucesso, e permitiu que descobríssemos que o prédio que servia de gráfica para o jornal naquela época, na rua 25 de março, ainda existe hoje sendo ocupado por uma grande loja (clique aqui para ver o comparativo).

Redação do Estadão de 1884 a 1906 na Rua da Imperatriz, 58 (hoje Rua 15 de Novembro).

E continuando nossas pesquisas, encontramos agora uma série de fotografias muito interessantes mostrando uma outra fase deste que é um dos mais importantes jornais brasileiros, agora duas décadas depois.

O material faz parte do artigo “Apontamentos históricos sobre  O Estado de S.Paulo” , publicado em 1940. Além de ser uma deliciosa viagem no tempo, são fotografias que nos permitem conhecer um pouco mais da história do jornalismo paulista. De quebra, você ainda verá fotografias da rede pneumática paulistana, um sistema de comunicação entre empresas que funcionava através de uma rede de tubulações pelos prédios e pelos subterrâneos da cidade. Apesar de ter caído em desuso há indícios que a tubulação ainda exista.

A rede pneumática em 1910

Gosta de jornalismo e de história ? Então conheça o cotidiano do Estadão, da redação à distribuição no distante ano de 1940:

1 – Repórter do jornal em constante comunicação com o Rio de Janeiro, então capital federal:

Clique na miniatura para ampliar!

2 – Da redação, os textos do jornal são enviados à gráfica através da rede pneumática:

Funcionário da redação deposita os originais na rede pneumática.

3 – Os textos chegam rapidamente à gráfica do jornal:

Saída da tubulação pneumática, no prédio da rua Barão de Duprat.

4 – Um dos vários linotipos do jornal:

5 – Funcionários conferem as provas do jornal na sala de revisão:

Clique na foto para ampliar.

6 – O jornal começa a ser composto para impressão:

Clique na foto para ampliar.

7 – As páginas do jornal, já prontas, entram na calandra para produzir as matrizes:

Clique na foto para ampliar.

8 e 9 – Na estereotipia, as matrizes fornecem elementos para os cilindros das rotativas:

Funcionário da gráfica confere a matriz (clique para ampliar).

Clique na foto para ampliar.

10 – Funcionário ajusta a página matriz em uma rotativa Marinoni:

11 – As rotativas do jornal produziam até 48.000 exemplares por hora:

12 – Da gráfica o jornal sobe a esteira para ser enviado aos assinantes:

13 – Funcionário prepara o jornal para ser despachado aos leitores:

Saiba mais:

 

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Ralph Giesbrecht 09/01/2012 at 19:06

    Os e-mails da época.

    Reply
  • Alexandre Giesbrecht 10/01/2012 at 11:21

    Fiquei curioso sobre a existência dessa rede pneumática.

    Reply
  • Vinicius Campoi 10/01/2012 at 12:04

    Gostei dessa história sobre a rede pneumática! Pena que não dá para apliar a imagem que mostra o mapa da rede.

    Reply
  • Pardo 17/02/2015 at 19:36

    Cara… aquela primeira foto quando eu vi parecia algo do tipo cadeira elétrica, mas enfim… essa era a tecnologia da época, mas que dá uma certa agonia isso dá.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: