Quem passava pela rua 7 de Abril, podia observar uma bela estátua de bronze que ficava na entrada do Edifício Banco das Nações. O ficar está no passado porque conforme já reportamos aqui anteriormente, a peça foi furtada por carroceiros no início do mês de março de 2015.

O monumento era particular e pertencia ao próprio Banco das Nações. Da estátua restou apenas a base de granito com o lema que o banco usava: “Poupar, Semear, Prosperar“.

Para quem não lembra ou nunca viu a estátua, era esta aqui:

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

É pouco provável que a estátua seja recuperada e reconduzida ao prédio de onde foi retirada. Este tipo de ação costuma ter um desfecho muito rápido, sendo levada a ferro-velhos desonestos que compram as peças roubadas e as derretem para revender o bronze, cujo valor no mercado é alto.

Infelizmente ainda não conseguimos descobrir a autoria da estátua, o que ajudaria muito a saber se existe algum molde ou coisa parecida que permita que a obra seja refeita.

A nossa colaboradora Glaucia Garcia de Carvalho teve a felicidade de algum tempo atrás fotografar a estátua minuciosamente. A sequência de fotos a seguir, mostra como a estátua era bem de perto.

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

Foto: Glaucia Garcia de Carvalho

O furto de peças de bronze em São Paulo é bastante corriqueiro, diga-se de passagem. Quem visitar alguns dos cemitérios paulistanos, como da Consolação, ira observar inúmeros túmulos sem suas partes de bronze. Uma das vítimas, inclusive, foi o mausoléu do escritor Monteiro Lobato.

Agradecimentos: Glaucia Garcia de Carvalho pelas imagens enviadas.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • wdornellas 06/07/2015 at 16:33

    Poderia, pelo menos, colocar uma foto do tamanho natural da estátua colada na parede em cima do pedestal. Vão roubar ou vandalizar com certeza, mas fica mais barato repor.

    Reply
  • Marilia 06/07/2015 at 18:34

    Bela estátua! Infelizmente nosso país não tem cultura.

    Reply
  • ernani 06/07/2015 at 22:07

    Com certeza o roubo da estatua deve ter sido por esses carroceiros.
    O centro velho da cidade de São Paulo, está cheio deles.
    Infelizmente as leis de nosso país dá todo apoio a esses malandros.
    Outro dia ouvi a declaração de uma estrangeira, que cometeu um crime de trafico de droga.
    Perguntaram a ela se ela queria ser julgada em seu próprio país ou no Brasil…
    Ela então respondeu que queria ser julgado no Brasil, porque as leis e as penalidades aqui são mais suaves!

    Reply
    • Emerson de Faria 07/07/2015 at 12:38

      Nem todo carroceiro é desonesto, Ernani, pessoas boas más estão presentes em todas as classes sociais.

      Reply
  • Luiz Henrique 07/07/2015 at 08:02

    É, pois é…

    Reply
  • Carlos Gama 07/07/2015 at 10:46

    É a colocação em prática, da teoria dos princípios e dos fins: “chega-se aos fins sem levar em conta os princípios”.
    Infelizmente, essa prática se estende por todo o país, começa no topo da pirâmide social e se espraia cada vez com mais amplitude.

    Reply
  • Vinícius 07/07/2015 at 11:42

    Sabe como é: em tempos de crise econômica, o carroceiro viu aquele monte de moedas e dinheiro nas mãos da estátua, e não resistiu…

    Reply
  • Luiz Henrique 07/07/2015 at 18:24

    O mais gritante é que nada foi, nada está e nada será feito. Já caiu no esquecimento de quem deveria zelar por isso.Só lamento…

    Reply
  • Rafael 09/07/2015 at 02:54

    “Que estátua machista, homofóbica e capitalista… E na base tem escrito ‘Poupar – Semear – Prosperar’, que coisa de burguês, coxinha e opressor… E ainda por cima, pertence a um banco! Vamos dar um sumiço nessa coisa!”, pode ter pensado o responsável pelo furto rs…

    Reply
    • Claudemir Mariano 11/07/2015 at 19:02

      HOMOFÓBICA ???????????

      Reply
      • danielpardo2015 20/07/2015 at 23:02

        Eu acho que o Rafael está sendo irônico…

        Reply
  • Pr Marcos Jacintho 13/07/2015 at 09:28

    Uma pena. Trabalhei no Departamento de Câmbio no Banco das Nações de 1981 até quando foi vendido para o Banco Bamerindus, era um Banco familiar, tinha parentes que trabalhavamos juntos e outras famílias também. É um pedaço de nossa saudade que foi furtada também. Marcos Jacintho Lopes.

    Reply
  • Ska 02/11/2016 at 21:50

    No começo dos anos 70, nas vezes em que eu ia com minha mãe à cidade, eu sempre passava em frente a essa estátua. Uma curiosidade: em todas as vezes em que passei por lá, alguém havia colocado um cigarro na boca da estátua. Fiquei triste em saber que foi levada. Que tempos, que tempos…

    Reply