São Paulo não pode parar. Esta frase sempre muito utilizada quando é feita alguma referência a capital paulista pode ser aplicada não só no progresso da cidade, como também nas incansáveis demolições que atingem São Paulo como um todo.

Há inúmeros motivos e razões para toda e qualquer demolição de imóvel na cidade, mas a grande maioria sempre está relacionada com a selvagem especulação imobiliária, que tanto macula a paisagem arquitetônica de nossas ruas e bairros.

Entretanto, desta vez relatamos aqui a demolição, pelo poder público, não de uma casa mas sim de um quarteirão inteiro, com 10 imóveis para dar lugar a uma praça.

O quarteirão em questão é um pequeno triângulo entre as Ruas Clélia, Turiassú e a Avenida Pompéia, bem ao lado Shopping Bourbon. Neste local existiam até novembro de 2011 um total de 10 imóveis, sendo 1 edifício de 3 andares , 1 posto de combustíveis e 8 sobrados residenciais e comerciais. Todos eles foram demolidos após serem desapropriados pela Prefeitura do Município de São Paulo.

Não é a primeira vez que a gestão de Gilberto Kassab demole um quarteirão inteiro para dar lugar a uma praça. Na região central da cidade, a prefeitura também demoliu 3 edifícios (São Vito, Mercúrio e Francisco Herrerias), além de alguns sobrados ao redor para dar lugar a uma praça, sendo que até agora só há um terreno feio e vazio.

A praça, segundo a prefeitura, será permeável para auxiliar ao combate das enchentes que sempre foi corriqueiro naquela região, mas que ficou bem maior e mais crítico depois da inauguração, do outro lado da avenida, do shopping center. Uma imóvel de beleza arquitetônica duvidosa e até exagerada em sua construção para o local saturado onde está.

O quarteirão em outro ângulo(clique na foto para ampliar).

Ou seja, resumindo, as pequenas casas do quarteirão e seus proprietários e inquilinos foram condenadas principalmente pela construção do shopping. É como se seu vizinho cometesse um crime, e você fosse condenado no lugar dele.

Após o final da demolição, o local ficou assim (clique para ampliar).

Enfim, nada mais resta no local e agora é esperar que a tal praça seja entregue ao bairro. Nenhuma construção demolida no local era muito significativa ou histórica, mas é preocupante quando as pessoas são expulsas de seus autênticos locais de moradia ou de trabalho em virtude de uma desapropriação que é reflexo de políticas urbanísticas equivocadas de gestões passadas. Isso sem contar que raras são as vezes em que as desapropriações pagam valores justos.

Os erros do passado não podem justificar erros no presente.

Veja abaixo fotos de todos os imóveis demolidos neste quarteirão (clique para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento Foto: Douglas Nascimento Foto: Douglas Nascimento

Confira o local através de nosso mapa:

Visualizar São Paulo Antiga em um mapa maior

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Inês 11/07/2012 at 16:08

    Além do monstruoso shopping, também bem na frente a construção de vários prédios ao lado da casa da Caldeira, q tb vão AFOGAR a região.
    Praça??? Sei…Sei…

    Reply
  • Fabio Cerchiari 12/07/2012 at 00:53

    Com todo respeito ao marivilhoso trabalho realizado por esse site, mas esses imóveis em questão são horriveis e mal cuidados. Se seus antigos moradores tiverem sido indenizados de forma justa, devem estar morando bem melhor. Eu certamente acho que uma praça é mais útil a região do que esses sofridos imóveis.

    Reply
    • Douglas Nascimento 12/07/2012 at 10:22

      @Fabio

      É como eu disse, as construções não tinham valor histórico, mas há de se ficar o registro para a prosperidade. E vamos ver se a tal praça pelo menos sai porque até o momento o local parece uma praça, de guerra.

      Reply
    • carlos 14/07/2012 at 13:38

      Quanto custou tudo isso?!?!?!!?
      A zona sul de sp pede socorro!!!! Faltam investimentos em transporte público, faltam novas avenidas para desafogar o trânsito, faltam investimentos em infraestrutura e o prefeitinho nunKassab se preocupa em investir milhões em bairro já formados e com boa estrutura. Lastimável!!!!!!

      Reply
  • Betty 12/07/2012 at 03:43

    O prefeito Kassab não fez nada de bom pela cidade, só fez cagada atrás de cagada….

    Reply
  • Vinicius Campoi 12/07/2012 at 12:15

    O conjunto de sobradinhos missões deve ter sido muito belo no passado, mas pelo que deu pra ver já estava bastante descaracterizado. Uma pena…

    Reply
  • Rosana Bacarini 12/07/2012 at 14:01

    Uma pena,sem contar que quando eles desapropriam as pessoas da suas casas pagam tão pouco que mal dá pra comprar um barraco na favela.

    Reply
  • caio 24/07/2012 at 00:25

    Cara ali juntamente com as casas da outra esquina em frente ao shopping serao uma estaçao de metro… e a prefeitura qndo desapropria algum imovel obviamente indeniza seus proprietarios…
    nao sei se foi sua intençao.. mas senti um ar de “fracos e oprimidos” no seu texto… so nao concordei com isso =]

    Reply
  • Paulo Branco 20/08/2012 at 23:43

    Espero que o shopping tenha pago a desapropriação, ja que depois de sua construção pioraram as enchentes na regiáo…

    Reply
  • Rafael Francesconi 24/08/2012 at 20:48

    A vinda do Shopping não pioraram as enchentes. No passado, a mais de 35 anos atras, meu avô morou neste prédio verde, e ele contava que no térreo a água encobria as portas… ou seja, subia a mais de 2 mts de altura.
    As desapropriações foram feitas sob o pretexto da construção de um piscinão sob a tal praça. Coisa que não foi feita, hoje o argumento é de resgate de uma antiga praça que existiu em tal lugar na época em que o bairro foi fundado e os operários das industrias Matarazzo descansavam durante o almoço.
    A cidade de São Paulo é muito carente de áreas verdes, ao menos esta praça será bem vinda.
    Apenas acredito que com o dinheiro das desapropriações era possível construir algumas creches e postos de saúde na periferia, sem dúvida seria muito melhor.

    Reply
  • Wanderley Augusto 24/08/2012 at 23:44

    Realmente o piscinão não saiu, mas talvez com a praça aumente um pouco a absorção das águas e diminua, ainda que um pouco as enchetes.

    Até agora a única coisa boa disto foi terem acabado com o posto de gasolina que existia ali e que vendia combustível de péssima qualidade apesar da bandeira oficial.

    Reply
  • Carolina 02/12/2012 at 10:37

    E complementando esse artigo muito bem escrito…. ao lado do shopping, no cruzamento da Turiassu com a Pompeia casinhas lindas e antigas tb estão sendo ameaçadas de demolição…não sei por quem, e nem pra que….mas a questão é… por que destruir algo que pode parecer obsoleto, para construir algo moderno e bonito…. o bonito é relativo…eu e mtos amigos achamos muito mais bonito as casinhas antigas do que qq outra coisa moderna de beleza duvidosa…de certo elas precisam passar por alguma reforma, up grade….e o melhor é que isto esta acontecendo naturalmente: artistas muitos talentosos e inteligentes grafitaram murais lindos, muito lindos nessas paredes condenadas….agora temos que iniciar uma nova campanha para impedir essa demolição….ARTE NÃO SE DEMOLI, ARTE SE CULTUA!!!…
    divulguem!!!

    Reply
  • Pollon, Diego. 16/02/2014 at 22:42

    Pois bem, foi feito aí uma praça!
    Em nada ajudou em relação as enchentes e pior, a praça é na verdade uma gaiola! Toda cercada por grades, um portão fechado o dia inteiro e nada de interessante pra oferecer ao bairro ou a quem passa por alí!
    Desperdício de uma boa oportunidade!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: