Por toda a cidade de São Paulo encontramos esta cena repetindo-se a exaustão. São casas muito antigas ( e algumas nem tanto) que acabam por alguma razão desocupada.

Com o tempo a desocupação começa a transparecer mais, inicialmente com a fachada que começa a deteriorar-se. Depois chegam os primeiros atos de vandalismo como a pichação, logo mais um idiota qualquer atira uma pedra e o primeiro vidro é quebrado. Da mesma maneira que uma pichação chama outra, um vidro quebrado também chama o ataque ao próximo vidro.

Com o tempo, não há mais vidraças sobrevivendo e nem mais espaço para mais pichação e,para evitar danos maiores ao patrimônio ou mesmo uma invasão, chega-se ao ato final de proteção de um imóvel em situação de abandono: o emparedamento. E esta casa já está nesta situação, com vidros quebrados no andar superior, muita pichação por toda a fachada e o térreo com suas duas janelas emparedadas.

Qualquer semelhança com outros imóveis em outras regiões da capital, não é mera coincidência. É um triste retrato cotidiano paulistano, e de muitas outras cidades do Brasil.

Veja mais fotos deste sobrado (clique na miniatura para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

Conheça a região através do mapa:

Visualizar São Paulo Antiga em um mapa maior

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • José 24/11/2011 at 12:47

    A placa de “Proibido estacionar” e a faixa exclusiva para ônibus seriam um dos motivos da falta de interesse na utilização da residência?

    Reply
    • Fernando 27/12/2011 at 11:55

      Caro José. Sou um dos proprietários herdeiros. Este sobrado onde nasci em 58 foi , infelizmente, alugado para golpistas que o transformaram em um prostíbulo. Na época (2003) a imobiliária faliu e administrou mal as contas de água. Soubemos depois que ao invés da Sabesp retirar o cavalete, aceitava promessas dos inquilinos (ou sei lá o que…). Estamos processando a Sabesp e sabe com que velocidade a justiça anda neste país. Entramos com uma liminar para religarem a água e assim poder alugar o imóvel que está em um ótimo local. Ao lado, uma farmácia funciona há anos. (imóvel também nosso) Na frente foi construído um belíssimo conjunto residencial. É uma pena. Vamos ter que esperar a justiça autorizar a religação da água.

      Reply
      • Paula Pimenta 17/12/2012 at 11:31

        Olá Fernando, meu nome é Paula Pimenta sou artista plástica, residente de São Paulo. Estou desenvolvendo um trabalho plástico sobre casas abandonadas, lacradas ou fechadas por diversos motivos, onde me aproprio dos relatos de moradores e vizinhos e crio uma imagem ( pintura em tecido) e coloco na fachada desta casa.
        ( geralmente colo sobre a parte lacrada ou apenas prego em algum lugar que não danifique a casa). A minha idéia é resgatar a história destes lugares para transferir alguma imagem que as pessoas possam observar e descobrir a essência dele ao passarem em frente. Então gostaria de lhe pedir um pequeno depoimento sobre a sua experiencia neste casa, o que ela é pra você!
        Não possuo a intencão de ser invasiva, apenas que resgatar a historia da cidade, que é a nossa história. No depoimento pode ser dito que você quiser. Caso tenha interesse em participar do projeto por favor entre em contato pelo e-mail pah_pimenta@hotmail.com

        Reply
        • Fernando Suelotto 20/12/2013 at 12:18

          Ola Paula, somente agora vi sua mensagem, muito tardiamente…De qualquer maneira, caso ainda queira usar a casa para seu trabalho, fique à vontade. A história da casa está resumida no meu depoimento acima. Nasci lá, morei até 68, foi alugada tres vezes e na ultima, em 2003, fomos vitimas de fraude de documentos. A imobiliária faliu no mesmo momento deste erro de falta de cuidados com documentos falsos e por fim, a Sabesp foi tolerante com as faltas de pagamento de água. O lento processo juridico contra a Sabesp se arrasta desde 2009 e até o momento (ja ganhamos em primeira instancia, mas a Sabesp recorreu) a casa está sem água e impossibilitada de ser alugada.

          Reply
  • Ugo Barberi Gnecco 26/11/2011 at 17:45

    Boa tarde.
    Não parece ser muito antiga, mas olhando no mapa, tem a proximidade de 2 igrejas, sendo que uma delas creio ser do tipo que atrai muita gente e faz sermões usando microfones, com isso, esse sobrado só serviria para comércio, pois não creio que mutias pessoa gostariam de uma igreja com sermões em alto e bom som, atrás de suas casas…
    Obrigado.

    Reply
    • Ugo Barberi Gnecco 01/12/2011 at 20:54

      Boa tarde.
      Na quarta linha onde está escrito “mutias pessoa”, é p/ ser “muitas pessoas”.
      Obrigado.

      Reply
  • Tulio 29/11/2011 at 20:56

    Muito pior é o abandono do antigo Hospital Sorocaba, a apenas 50 metros dessa a casa, em que, em 1965, morava um amigo meu de escola.
    Casa, aliás, que não tem nada de expecional. Mas o vandalismo exterior agride a cidade.

    Reply
  • Fernando 27/12/2011 at 11:57

    Caro Tulio, Veja por favor, comentario acima. Sds,

    Reply
  • valquiria dos santos puentes 12/04/2014 at 17:05

    Eu não tenho condições de comprar uma casa ,ganho pouco pago aluguel e fico triste de ver tantas casas abandonada e eu sem nenhuma,lutando para ter uma,por favor vende ela para mim,sera que é tão dificil assim,
    alguém vender uma casa a ponto de deixar ela abandonada.Porque acontece estas coisas.
    Trabalho tanto , já formei um filho só falto o meu outro filho se formar me dediquei a meus filhos agora espero que com eles posso ter um lar para que eu desfrute com eles enquanto eu viver, me de esta oportunidade por favor tenha misericórdia.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: