Em um passeio recente pelos bairros da Aclimação, Cambuci e Liberdade encontramos muitas residências fechadas ou em avançado estado de degradação. São principalmente imóveis antigos, que por alguma razão desconhecida foram fechadas e esquecidas. Duas que chamaram muito a atenção são estas residências vizinhas:

Em uma rua onde a grande maioria das residências são em sua maioria bem cuidadas, estas duas pequenas casas geminadas na Rua Sen. Carlos Teixeira de Carvalho, destoam das demais vizinhas. Estão em avançado estado de deterioração, com muitos focos de infiltração, pichações e grafite. Sua portas e janelas e até um dos porões foram lacrados com blocos para evitar eventuais invasões.

Mesmo bastante deterioradas, suas fachadas permanecem fiéis ao estilo original. Talvez, por serem vizinhas, pertençam ao mesmo proprietário que por alguma razão teve de deixá-las assim, porém não seria muito difícil recuperá-las e colocarem de volta à vida, servindo de residências ou mesmo casas comerciais. São imóveis bastante antigos, compridos, com pé-direito alto e estreitos.

Bairros como Liberdade e Aclimação são focos de bastante especulação imobiliária e não seria difícil comercializa-las. Será que um dia veremos estas casas simpáticas recuperadas ?

Veja mais fotos das residências (clique na miniatura para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • VALERIA FULP 30/08/2012 at 14:56

    Como sempre, o seu trabalho e’ fabuloso…
    Gostaria de saber se a prefeitura de Sao Paulo nao tem leis que proibem e regulam o abandono e deteriorizacao de residencias, predios, pracas, etc…..
    Sempre achei que os prefeitos tem certas obrigacoes de fiscalizar esse tipo de situacao,e se o proprietario depois de notificado nao der uma solucao ao caso, deveria ter pesadas multas e ou desapropriacao do imovel. Aqui nos USA e’ assim, e eles vem em cima mesmo, sem do’ nem piedade, porem…Brasile e’ Brasil, tudo pode.
    Abracos

    Reply
  • Vinícius Ferreira 03/09/2012 at 20:38

    Notei que a casa vizinha, do lado direito, com duas janelas, é semelhante à essas duas casas, no entanto, apesar de remodelada, está melhor conservada.

    Reply
  • Miguel 10/10/2012 at 12:22

    Tomara que venha uma construtora compre e ponha esta indecência abaixo! Em uma região com infra-estrutura tão completa; imóvel velho e abandonado, ninguém merece… Abs

    Reply
  • Denis George Haddad 03/09/2014 at 15:39

    Tenho 63 anos de idade e desde 1987 resido no Rio de Janeiro. Passeando por este fantástico site encontrei a fotografia do que resta das casas 121 e 123 da Rua Senador Carlos Teixeira de Carvalho, no Cambuci. O que me leva a escrever este comentário é que quando eu nasci, em 11 de agosto de 1951, meus pais moravam na casa 123 daquela rua. Segundo o que meu pai contava nós mudamos para outro endereço em 14 de setembro de 1954, há quase 60 anos, portanto.
    Até 21 de novembro de 1958 a rua tinha o nome, apenas, de Teixeira de Carvalho, passando naquela data a ter a atual denominação, segundo o que apurei em pesquisa na legislação municipal de São Paulo.
    Anos após nossa mudança cheguei a conhecer o proprietário das casas, àquela altura, primeira metade dos anos 1960, já um ancião. Acredito que deva existir algum embaraço jurídico envolvendo os herdeiros dos imóveis, impedindo que seja dado algum destino a estes.
    Evidentemente pelo aspecto sentimental, é um local que me toca profundamente, até por conta de meus pais já não estarem entre nós. Desejo parabenizar o site pelo resgate da memória de São Paulo, tão maltratada por sucessivos administradores que estão mais preocupados com os interesses das construtoras do que com qualquer outro objetivo histórico.. Prossigam no trabalho, pois muitos de nós, já na chamada terceira idade, sentimos que voltamos no tempo, para um tempo melhor que não volta mais.

    Reply
    • Carlos Henrique Rapp Júnior 15/03/2015 at 21:14

      Também penso como você, meu caro confrade

      Reply
  • zenon marques tenorio 26/10/2015 at 15:07

    Concordo integralmente com o meu colega de faculdade de direito da usp

    Reply
%d blogueiros gostam disto: