O bairro da Penha costuma dar ao visitante a impressão de ser uma cidade do interior. A região é relativamente tranquila, tem ruas estreitas e sinuosas, muitas igrejas e várias instituições tradicionais, como o Colégio São Vicente de Paula.

E é neste bairro que ficam duas das mais suntuosas construções da fé católica em São Paulo: a Basílica Nossa Senhora da Penha e o Seminário da Penha. E é sobre este último que falaremos neste artigo.

clique na foto para ampliar

Com a grande vocação católica da Penha, que é repleta de igrejas, pensou-se no final da década de 1940 em erguer um edifício para servir de convento. Com sua conclusão no início da década de 1950, as autoridades religiosas responsáveis pela construção acabaram achando que o imóvel ficou grande demais. Com isso decidiram transformar a edificação em um seminário para padres redentoristas.

Na época de sua construção, os moradores do bairro se engajaram completamente na iniciativa tanto com a mobilização de pessoal para a empreitada, como para a arrecadação de dinheiro que foi fundamental para a conclusão do audacioso projeto.

O seminário recém inaugurado em 1951

Foco de formação de muitos sacerdotes o seminário foi vendo seu público diminuir à medida que outros novos seminários foram sendo abertos pelo Brasil. Em certo momento, na década de 1970, começou a ficar ocioso e foi desocupado pelos redentoristas. Vazio, foi alugado em 1979 pela Prefeitura do Município de São Paulo, pra ser a sede da Administração Regional Penha (o que hoje chamamos de Prefeitura Regional). O local foi ocupado pelo poder municipal por alguns anos, até que mudou definitivamente para uma outra parte do bairro em meados dos anos 1980.

Com a saída da administração regional o edifício do antigo seminário ficou vazio por alguns anos, sendo posteriormente ocupado pelo Hospital Nossa Senhora da Penha, que utilizou o imóvel para ampliar suas atuações. O hospital permaneceu no local até o final da década de 1990.

Vista do jardim do antigo seminário

Com o imóvel fechado, começaram os rumores de que o antigo seminário seria vendido e demolido, para dar lugar a edifícios. O fato que parecia uma mera especulação do bairro tomou ares perigosos quando em 2009, pouco após uma visita do DPH (Departamento de Patrimônio Histórico) sugerir que a edificação viria a ser tombada.

Após essa visita, começou uma batalha pelo edifício. De um lado os moradores e entidades do bairro em prol da preservação antigo seminário. Do outro lado Toninho Paiva, vereador totalmente descompromissado com a história da Penha, autoridades da igreja e membros de uma construtora.

Toda essa briga pelo seminário foi exaustivamente noticiada aqui pelo São Paulo Antiga e está a disposição dos leitores. Nossa participação junto a entidades do bairro, foi importante para afugentar o risco de demolição do imóvel.

Desde então o processo de tombamento segue e, ao menos por enquanto, os penhenses podem dormir tranquilos sem ter um de seus principais patrimônios em risco. Veja abaixo três galerias de fotos do seminário da Penha.

Crédito das imagens: Eduardo Morelli

GALERIA 1 – FOTOS EXTERNAS (clique para ampliar):

GALERIA 2 – FOTOS INTERNAS (clique para ampliar):

GALERIA 3 – DETALHES DIVERSOS (clique para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Alexandre Fontana 16/03/2017 at 16:40

    Me lembro dos posta feitos aqui na época. Como pode um prédio tão bonito e cheio de história ser demolido. E pra quê? Pra fazer mais predinho vagabundo, que e so o que essas construtora a fazem hj. E me espanta que gente da propria Igreja fosse favorável a venda.

    Reply
    • Douglas Nascimento 16/03/2017 at 22:18

      O Monsenhor Calazans já quis demolir a igreja velha da Penha, construída no século XVII… incrível a ignorância !

      Reply
      • Gilberto Fontim 17/03/2017 at 14:35

        Os membros do clero e do episcopado contaminados pela Teologia da Libertação agem desse jeito mesmo, infelizmente, Douglas. Imaginam ser marxistas ao mesmo tempo que católicos e, como resultado, querem destruir a própria Igreja que juraram servir…

        Ser um católico marxista é o mesmo que tentar ser um judeu nazista, ou um palmeirense corintiano. Não dá. Que Nosso Senhor Jesus Cristo tenha pena de nossos pais espirituais que se perderam em doutrinas inimigas do Santo Credo.

        No mais, agradeço a bela cobertura do assunto, mais as fotos, muito boas.

        Reply
  • Daniel Pardo 21/03/2017 at 21:12

    E parabéns aos moradores da Penha por não deixarem essa bela construção que faz parte da história do bairro vir abaixo, ZL representando…

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor