Olhando a fotografia destes magníficos sobrados sem nada que possa nos remeter à Cidade de São Paulo, é possível até dizer que estamos diante de um conjunto de sobrados europeu, alguma coisa em Londres, Dublin ou mesmo em Berlim.

Mas quando nos damos conta de que se trata de um conjunto residencial na zona sul paulistana, tomamos consciência da importância da preservação de nossa arquitetura e de nossa memória urbana.

clique na foto para ampliar

Trata-se de um maravilhoso conjunto de 4 sobrados geminados, absolutamente encantadores e preservados localizados nos números 198 a 210 na rua Theodoreto Souto no bairro do Cambuci, bairro este que é repleto de construções antigas charmosas algumas preservadas e outras nem tanto.

Este tipo de construção é muito raro de se encontrar em nossa cidade. São poucos os imóveis feitos neste estilo arquitetônico, mais próximo do que encontramos na Inglaterra, Irlanda ou Alemanha do que os tradicionais sobrados geminados antigos da nossa paulicéia que tendem a ter um estilo mais próximo da arquitetura italiana ou ibérica. Hoje, a estes sobrados somam-se com a Vila dos Ingleses, Jardim Heloisa e Vila Savoya como os raros representantes deste estilo arquitetônico.

Encontrar este conjunto absolutamente preservado é um motivo de orgulho não só para seus felizes proprietários, mas para a nossa cidade cada vez mais ausente de preciosidades como esta. É um alento, um fio de esperança para que nossa memória não desapareça por completo em um mar de arranha-céus. Se estiver na região não deixe de conhecer.

Nossos parabéns ao(s) proprietário(s)!

Confira outras fotos destes sobrados :

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Peterson Henrique Freitas 27/01/2012 at 12:20

    absolutamente lindas.

    Reply
  • Tadeu 27/01/2012 at 12:39

    Imóveis com conservação exemplar. Cuidados que deveriam ser seguidos por muitos dos proprietários de construções históricas da cidade de São Paulo.

    Reply
  • Vinicius Campoi 27/01/2012 at 13:35

    Caramba, nao conhecia estes sobrados! Que milagre estarem todos originais, devem pertencer a um único proprietário, muito cuidadoso por sinal. Vc sabe de que época são?
    Me lembram um grande conjunto de sobrados no Tatuapé, não tão belos como esses mas todos originais tb, ficam entras ruas Airi, Pe Estevão Pernet e Itapura.
    Abs

    Reply
  • Vinícius Ferreira 27/01/2012 at 20:34

    Sobrados realmente muito bem cuidados, seguindo o comentário anterior, tambem existe uma vila bem grande na vila guilherme com o estilo original,mas bem mais simples do que estes, fica localizado na rua Eugênio de Freitas/rua João Veloso Filho.

    Reply
  • Ligia 28/01/2012 at 00:08

    Sempre passo por lá e fico com vontade de parar e perguntar se ainda são residências, se são de uma pessoa só ou não, mas de fato são maravilhosos. Aliás, na Theodureto Souto tem outras preciosidades que valem a pena ser vistas

    Reply
  • aquinaojacaré! 28/01/2012 at 02:33

    Lindos!!! Milagre mesmo de estarem em pé! Se fosse qualquer idiota ja teria arrebentado tudo para fazer uma garagem… Parabéns aos proprietarios, e que os mesmos passes esse amor adiante pois, ha pessoas que cuidam toda uma vida de sua casa e ao morrer os herdeiros comem a casa com farinha…

    Reply
  • MARGARETE 28/01/2012 at 04:01

    Parece realmente em outro país, bem mais civilizado que o nosso, infelizmente.

    Dica: no bairro Tatuapé, na zona leste de SP, tem muitos conjuntos assim, que ainda resistem aos espigões impiedosos e a ganância desenfreada que existe nesse bairro.

    Reply
  • Peterson Henrique Freitas 02/02/2012 at 18:28

    As pessoas tem dedicado os melhores imóveis ao comério, enquanto moram em apartamentos que mais parecem gaiolas, favelas em pé. Isso é uma inversão de valores, as pessoas estão virando escravas do próprio trabalho. “Que proveito tem o homem de todo seu trabalho debaixo do céu?”

    Reply
  • melissa 10/02/2012 at 18:32

    Sobrados bem conservados!Lindos!

    Reply
  • carminha 27/04/2012 at 23:40

    adorei, passei horas admirando seu trabalho.

    parabens!!!

    Reply
  • Davison 04/06/2012 at 15:11

    Fui criado na segunda casa casa de numero 208. Morei por mais de 20 anos.

    Reply
    • Antonio Ximenes 25/03/2013 at 20:43

      Davison, saudades dos nossos tempos de menino.Quantos ensaios houveram ali no porão hein!!! Abraço.

      Reply
  • Cristiano 02/01/2013 at 14:59

    Que maravilha isso, parabens para quem conserva, lamento nosso país, ter se perdido em urbanização, má distribuição de renda, tornando nossas vilas simples em “aglomerados” e sobrados mal feitos, casas coladas uma na outra sem padrão e sem estética, com uma carcteristica forte de país América Latina sem organização, tudo deveria ter um pouco de planejamwnto como esses sobrados no estilo europeu.

    Reply
  • Luís Roberto Ferreira 03/01/2013 at 19:50

    Moro perto dos casarões e sempre que passo por eles fico pensando até quando resistirão. Em São Paulo a memória da cidade não é algo importante, mas, ainda temos muitos lugares belos que precisam ser preservados.

    Reply
  • Audenis de Souza 07/03/2014 at 16:46

    O primeiro sobrado ,à direita da foto, morava meu amigo Wilson, ao lado deles, tem um sobrado muito bonito também, que morava outro amigo nosso, filho do dono da fábrica de cadeiras de barbeiro Ferrante. Eu morava a uma quadra, na Rua Backer, onde se pode encontrar ainda, muitas casas preservadas, dos anos 40. Morei ali de 1.956 à 1.973, muitas saudades do meu querido Cambuci.

    Reply
  • Antonio Manuel Capeto Costa 02/09/2018 at 12:43

    Estilo Tudor, é assim que se chama. E a configuração neste caso é o que se convenciona chamar “row house” que era um tipo de configuração em vilas operárias.

    Se vocês observarem atentamente o tipo de metragens em aptos hoje em dia, isto praticamente poderia ser chamado de mansões ou tonwhouses( no caso de conjugação de uma ou mais unidade ).

    Principalmente na Europa e America do Norte, este tipo de habitação, independente do estilo, é procurada por moradores urbanos ( urban dwellers ), hoje em dia jovens profissionais, que abrem mão do carro, geralmente quando constituem famílias são pequenas.

    Este tipo de moradia proporciona algo ímpar que não se pode replicar em edifícios comerciais: Privacidade, e praticidade. Em alguns casos, a fachada esconde um terreno com grande profundidade o que confere o privilégio de quintais grandes e privados. Importante também mencionar o fato que são moradias econômicas, não ha parcelas de condomínio em muitas delas.

    Com relação a percepção de segurança, é importante notar a impenetrabilidade entre habitações, e o fato que tais moradias não são chamativos para ladrões tais como complexos residencias em apartamentos.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: