Imóveis Antigos

Garagem – E.A.O Vila Esperança

Comments (81)
  1. Renata disse:

    Espero que não vire condomínio e continue sendo uma garagem de ônibus, só que dessa vez em funcionamento.

    1. alexandre disse:

      Bom dia. Má noticia: Será um condomínio. Moro lá perto e vi ontem (08/02/2012) uma placa de construtora.
      è a especulação imobiliaria destruindo nossa memória arquitetonica.
      Abs. Alexandre

    2. Indio disse:

      Eles poderiam recuperar a faichada e manter como lembrança pra todos nós…
      Que acham

      1. sergio babugia disse:

        só havia a fachada em pé, por dentro já estava tudo derrubado, então assim que colocaram os tapumes na calçada, demoliram o que ainda estava em pé….acabou-se definitivamente a E.A.Onibus Vila Esperança, agora só em fotos e na lembrança………

    3. Indio disse:

      Descupem A FACHADA, ….

    4. Valdenir Cunha disse:

      sinto muito em lhe dizer,mais já virou condominio,infelismente!!! abçs

  2. rosana bacarini disse:

    Tbm tenho as mesmas lembranças que vc…quanta saudades.

  3. Sérgio Babugia disse:

    antes de ser da Viação São Miguel, esta era a garagem da Empresa Auto Onibus Vila Esperança-São Jose, ela fica enfrente da Rua Padre Olivetano., meu pai trabalhou nesta empresa como cobrador de onibus, ali enfrente também desfilavam A Nene de vila Matilde, e outras agremiações dos bairros em volta, no carnaval de rua, eles subiam a rua Evans e desciam a rua Padre Olivetano.isso a 44 anos atras, eu morava pertinho dali…………existia na Rua Maria Carlota, um cinema chamado Cine São Sebastião, onde havia bailes de carnaval, matine para as crianças e a noite para adultos, hoje lá é uma igreja evangelica…

    1. Márcio Beltramini disse:

      Pô, lembro de tudo isso. Valeu.

    2. puxa que legal, descobri a pouco tempo que meu pai era motorista desta empresa ,pena que eu não conheci ele e hj só tenho pistas que não me levam a nada , mas ver onde ele trabalhou me deu aperto no coração…e veja como o destino é hj sou motorista da transppass em sp….forte abraço ass DELINJER …dellinjer@hotmail.com

  4. Sérgio Babugia disse:

    Complementando…

    Douglas na Amador, enfrente a rua Coronel Meireles, hoje há uma loja de tintas e de carros, ali foi uma das garagens de ônibus da São Miguel, meu pai trabalhou ali também, como cobrador de ônibus…

  5. Valdir Agostinho disse:

    Me lembro desta garagem quando já era depópsito de bebidas. A garagem, então, foi transferida para um grande terreno no bairro Pedro J. Nunes, divisa dos bairros Ermelino Matarazzo e São Miguel Paulista. Hoje esse grande terreno comporta um enorme conjunto habitacional e um conhecido Hipermercado. Moro na Vila Jacuí desde quando nasci (1971). Espero que a antiga garagem seja usada para alguma utilidade pública, um centro cultural quem sabe!

    1. Ricardo Sarabando disse:

      Valdir, há ai uma pequeno equivoco de sua parte. Essa garagem foi transferida para a R. Joaquim Marra, na Vila Matilde. A garagem a que você se referiu na Cid. Pedro Nunes era da E.A.O. Penha-São Miguel, que existia na Av. Amador B. da Veiga, nº 1084, que depois de muito tempo fechada lá foi instalada uma grande loja de tintas, se não me engano Santa Rita.

  6. Adalberto disse:

    Amigos, a garagem da foto sempre pertenceu à EAO Vila Esperança, que foi vendida para a Viação São José quando a garagem mudou para a Vila Granada, nunca pertenceu à Penha-S.Miguel.

    1. edisonbrejeiro disse:

      Muma epoca a empresa penha sao miguel guadava os onibus num terreno que tinlha na rua jose flavio e amulecada ia brincar nos onidus. Hoje e um cojunto de predios neste terreno.

    2. sergio babugia disse:

      A garagem nunca foi mesmo da Penha-São Miguel, mas as linhas da ex,Vila esperança e Ex Vila Granada, foram adquiridas pela Penha São Miguel, mas conhecida pelos usuarios como MIGUELÃO

  7. Adalberto disse:

    A Penha-São Miguel tinha garagem na Av.Amador Bueno da Veiga, onde hoje funciona uma loja de Tintas, também utilizava o terreno da José Flávio conforme informou o amigo Edison e durante à noite os ônibus tb ficavam estacionados na Rua Enéas de Barros.

  8. Adalberto disse:

    Sérgio Babugia, sou consultor e colecionador de fotos de ônibus antigos, será que vc não tem alguma foto do seu pai nos ônibus dessas magníficas empresas?
    abs.

    1. Maria disse:

      Adalberto, vá ao Museu CMTC à Av. Cruzeiro do Sul não lembro o número mas é quase em frente à Rua Pedro Vicente. Boa sorte.

    2. sergio babugia disse:

      Adalberto…..vou ver se há alguma foto….

  9. ricardo sarabando disse:

    Grande trabalho esse teu de resgatar um pouco da história da região leste da cidade. Hoje, quando passo nesse local me lembro dos ônibus da empresa e em seus trajetos as vezes paravam na garagem para abastecer ou trocar de condutor e via os ônibus em manutenção.
    Algumas linhas tinham ponto inicial ali na estação da R. Dr. João Ribeiro, agora é onde está o Shopping Penha.
    Presentei-nos com mais fotos, se tiver. Obrigado!

  10. Marcão Estancia disse:

    Intereeante notar os modelos de onibus, Caio Bossa Nova, Striuli, e monoblco 0321

  11. Eddie Martínez disse:

    Excelente matéria. Pena que não foi possível visualizar melhor os ônibus da Empresa Vila Esperança. De qualquer forma, restou uma foto na garagem para a história. A minha primeira lembrança é dos ônibus das cores branca e laranja da São José. A Av. Amador Bueno abrigava também uma das garagens da E.A.O. Penha São Miguel, no nº 1084 (a outra ficava na Av. São Miguel, 6838). Atualmente, estes locais foram transformados em uma grande loja de tintas e no hipermercado Extra São Miguel, respectivamente.

    1. Márcio Beltramini disse:

      Uma pena mesmo, aqueles “velhos” dinossauros nas cores Azul e Branca . . .

  12. ALVARO disse:

    NASCI E FUI CRIADO NA VILA ESPERANÇA – RUA OTILIA, TRAGO LEMBRANÇAS DA INFANCIA – ONDE SE PODIA CORRER E BRINCAR NAS RUAS DO BAIRRO, ESTUDAR ERA UM PRAZER NO COLEGIO OLIVETANOS OU NO GALPAO ENTRE A RUA NILZA E GILDA, OU AINDA NO GRUPO ESCOLAR NO FINAL DA RUA NILZA, A VIDA NESTE BAIRRO ERA UMA BENÇÃO, PARA IR A PENHA TOMAVA-SE O ONIBUS PENHA-VILA ESPERANÇA, QUE SAIA DA RUA OTILIA ATE O CHAMADO BALÃO DA PENHA – TEMPO BOM ONDE TUDO HOJE E SAUDADES – DAQUELES QUE SE FORAM E DAQUELES QUE LA DEIXEI – VILA ESPERANÇA CANTADA EM VERSOS E PROSAS POR ADONIRAM BARBOSA.

    1. Nelson Trevisan disse:

      Olá, Alvaro.
      Fiquei me lembrando da minha época… Tambem nasci na Vila Esperança, em 1948. Foi na Rua Cumai, 403. A sua Rua Otilia ficava paralela a minha Rua Cumai. Na esquina das 2 ruas havia um campinho, onde eu jogava bola com meus colegas, no time do Alvorada, ao lado da casa do coronel, que não gostava da barulheira da criançada. São muitas boas lembranças da infancia, trazidas pela garagem da Vila Esperança. Sou genro da falecida dona Geralda, a Tia Gê do Bloco Chorões da Tia Gê, do Carnaval…. Abraços

      1. Nelson Trevisan disse:

        Complementando… Minha casa ficava na esquina das ruas Cumai e Montes Aureos, portanto era transversal da Rua Otilia, não paralela… Havia o Guarani, o RUVE, o 5 de Julho, estudei no N.S. Menina (hoje Olivetanos), depois fui estudar em São Paulo. Fiz o Colegial no Gabriel Ortiz… Enfim, são lembranças!!! Abraços…

        1. Márcio Beltramini disse:

          Bom lembrar dos tempos da Vila Esperança. Nasci e cresci na rua Sinanduva, e aos domingos ficávamos “brincando” nos ônibus da viação Vila Esperança e São José, estacionados na rua Sinanduva perto da Av.Amador Bueno da Veiga. Também estudei no Gabriel Ortiz. Depois fui morar na Penha, próximo onde hoje é o Mercado Municipal, onde curti a garagem e os ônibus da Viação Urbana Penha.
          Que pena que neste país a história não é preservada.

      2. marinalva alves disse:

        Gente,quanta coisa legal para descobrir.Estou aprendendo
        a mexer agora.Nelson Trevisan,seu nome não me é estranho,fui vizinha da tia Gê quando tinha dos 7 aos 12 anos,mesmo depois tinhamos contato,minha irmã chegou a desfilar no bloco.Com qual filha você casou.Quantas saudades desse tempo,quantas lembranças boas…….bjs

        1. Raoní Oliveira disse:

          Olá Marinalva, pelo o que vi aqui, o meu tio Nelson Trevisan não lhe respondeu, sou neto da Dona Geralda, ele se casou com a Rosa. Seu nome também não me estranho, enfim, espero ter ajudado. =D

          1. Márcio Beltramini disse:

            Nelson Trevisan, qual o grau de parentesco com BRUNO TREVISAN, que tinha um empório de secos e molhados na esquina das ruas Sinanduva e Uicó ???

      3. Márcio Beltramini disse:

        Conheci o mercadinho secos e molhados de BRUNO TREVISAN, esquina da rua Sinanduva. Será que você o conheceu ?

  13. Celso disse:

    Trabalho em uma construtora que fez um edificio em frente a garagem, na esquina com a Padre Olivetanos… tem 4 incorporadoras de olho na antiga garagem já.. só aguardando se resolver as pendências que envolvem o terreno da antiga companhia de onibus…..

  14. HAMILTON disse:

    Nesse arco no topo da parede quando chove ainda dá para ver alguns traços da inscrição com o nome da empresa Vila Esperança coberto por outras pinturas.

  15. helenice disse:

    Sr.Nelson, o senhor poderia entrar em contato comigo?obrigada.

  16. RSensei disse:

    Saudades da Vila Esperança! Montes Aureos 30-A, o tio Zézito e a tia Fina, o Zezinho, Lena e Cecília. A vó Celina. Do Rex, Titan e Jipe; do Tomilco, Tobias, Leide. A quitanda do “seo” José, o empório do Chico & Pedrinho. Tempinho bom, década de 1950. Tudo mudou, mas a lembrança dessa época nesse cantinho precioso vai ficar para sempre! RS-Japan

  17. Edmilson (Indio) disse:

    Morei mtos anos na Saudosa Vila. na decada de 1970.joguei no Guarani, RUVE, no Alvorada, só sai dela qdo fui jogar no Juventos da Mooca, onde moro até hoje. mas sinto saudades da Vila. enfrente a garangen de onibus havia sempre um parque de diversões. as tarde de cinemas no cine S.Sebastião.
    ginasio Heckel Tavares e tantas outras lembras…faz tempo.

  18. Helena disse:

    Nasci na Vila Matilde, morei na Vila Esperança de 1955 a 1978, quando casei e vim morar em Valinhos/SP cidade que adotei comco minha e amo demais sem nunca esquecer a minha amada Vila Esperança onde vivi a minha infância, adolescência, juventude, enfim. Morava na Rua Cecília, fui aluna do Externato São Jose, do Gabriel Ortiz e do Heckel Tavares, da Escola de datilografia do Sr.Oswaldo Valente, participava das festas juninas organizadas pela Dona Geralda e das quadrilhas marcadas por ela (que sds), que depois ficou conhecida como Tia Gê, desfilei no Bloco dela nos primeiros anos de fundação. O carnaval de Rua, os bailes no R.U.V.E. (que delícia). Quanta sds de um tempo maravilhoso. É uma pena que irão destruir este patrimônio marco da hitória da nossa Vila Esperança (a garagem dos ônibus).

    1. Raoní Oliveira disse:

      Olá Helena, como costumo dizer, GRAÇAS A DEUS sou neto desta “mocinha” que você citou ali, Dona Geralda Duarte de Oliveira, hoje sou presidente do Bloco, e estamos lutando com todas as forças para reavivar as memórias e as maravilhas dessa época, se tiver algum material sobre e puder me fornecer ficarei grato.
      Caso queira vir ver ou até ajudar o nosso trabalho fique a vontade, é só avisar. E é muito bom, conhecer mais um Chorão da Tia Gê !!!

  19. Luiz Cortez disse:

    GRAÇAS A dEUS O PROGRESSO VAI AOS POUCOS TOMANDO CONTA DA pENHA.
    Que me perdoem os saudosistas de plantão mas, do jeito que estava, não havia comercio que fosse pra frente.
    SEJAM BEM VINDOS ESPIGÕES COM SANGUE NOVO!

    1. Raoní Oliveira disse:

      Concordo contigo Luiz, mas acho que dá para trazer um pouco mais de Progresso sem destruir a história, nesse caso, o prédio da garagem estava abandonado, mas como citaram anteriormente, podiam muuuito bem ter transformado aquele GIGANTESCO prédio em algo público, e seria ótimo se fosse de fato um centro cultural, traria progresso e reavivaria a memória de muuuitos, e história pra contar a Vila Esperança tem de monte.

  20. Prezados leitores:

    O artigo foi atualizado com novas fotografias da velha garagem de ônibus. Convido-os a conferir!

    1. Vinicius Campoi disse:

      Hehehe…ficou legal seu novo avatar! Abs

    2. Rodrigo M. Correia disse:

      Douglas, não sei se alguém já comentou, mas o ônibus Jardim Célia – Metrô Penha, era 273A e não 273C que era Vila Taquari – Metrô Itaquera

  21. SILVANA disse:

    ALGUEM PODERIA ME INFORMAR O NOME DA CONSTRUTORA DESTE LOCAL? GOSTARIA MUITO DE ESTAR VOLTANDO A MORAR NESTES ARREDORES. CRESCI NESTA REGIAO E HOJE MORO NA ASSIS RIBEIRO MAS ME FARIA MUITO FELIZ ESTAR NESTA REGIAO NOVAMENTE… É UMA REGIAO VIVA CHEIA DE COMERCIOS E BANCOS O QUE FACILITARIA MUITO MINHA VIDA.
    OBRIGADA A QUEM PUDER ME RESPONDER.

  22. fabiana disse:

    A garagem foi demolidade e será um condomio..

    1. Indio disse:

      Eles poderiam deixar a FACHADA como esta, fazer-la como memorial,como foi feito no Moinho Santo Antonio, ou no Luzes da Mooca, preservando assim a memoria para muitos de nós.

      Abç.

      Indio.

  23. Hamilton disse:

    Agora em 2012 depois de décadas o terreno está sendo ocupado novamente será mais uns prédios de apartamentos.

  24. sergio babugia disse:

    Bem amigos saudosistas………quem se lembra na rua Padre João, havia um colegio chamado ATENEU RUY BARBOSA, hoje um condominio de predios……..e quem diz que esta melhor hoje, pois ha progresso no bairro, digo que concordo que podemos dizer que esta melhor, ha muito mais comercio que antes, mas voce pode caminhar no bairro da penha e nos bairros ao redor em qualquer horario????????? quanto ao saudosismo, me responda quando voce completar uns 40 anos de morador da Penha,Vila Esperança, Vila Re, Vila Granada, Jardim Popular e outros bairros e ver as modificações que seu bairro teve……………

    1. Raoní Oliveira disse:

      CERTÍSSIMO … tenho 24 anos de vila e de idade … hehehe precisamos reativar a tranquilidade e a harmonia que se tinha 40 anos atrás, óbvio que os tempos são outros, mas ainda dá pra se ter lazer e cultura !!! =D

  25. Luiz disse:

    Uma foto da época da Vila Esperança, anos 50: http://onibusbrasil.com/foto/1434727/

    1. Raoní Oliveira disse:

      Muito Legal, se tiver mais fotos e puder ir postando aqui ficarei grato, estou montando uma página sobre a Vila Esperança no facebook, e gostaria de poder postar fotos antigas !!!

      Obrigado

  26. armando disse:

    quero fazer alguns comentários sobre as empresas; penha-são miguel, vila esperança e viação são josé, a penha são miguel tinha 3 garagens ( av. amador bueno da veiga em frente a rua cel. meireles, av. são miguel onde hoje é o supermercado d’avó e av. são miguel onde hoje é o extra), a empresa vila esperança tinha 2 garagens (esta da foto acima e na rua Joaquim marra próximo onde tinha um cinema que não me recordo o nome)e a viação são josé tinha a garagem no início da av. Itinguçu próximo da rede de transmissão da eletropaulo. Gostaria que fizessem uma matéria da viação itaquera. se possível for.

    1. Márcio Beltramini disse:

      Perfeito. Curti tudo isso.

  27. Raoní Oliveira disse:

    Bom pessoal, sou nascido e criado aqui na Vila Esperança, sou neto de Geralda Duarte de Oliveira (Tia Gê), e hoje estou como Presidente do Bloco Chorões da Tia Gê, tenho lutado para manter e se reavivar as tradições do bairro, criei uma página no Facebook, e gostaria de deixar lá histórias, fotos, tradições, dados e etc.
    Estamos entrando em uma luta para se fixar um Centro Cultural aqui na vila, que será muito legal para a criança e os idosos, e óbviamente muito legal para a Vila Esperança, vamos ver se conseguimos recuperar o fôlego e a força que a vila tinha e que hoje infelizmente passou a ser só “histórias que o povo conta”.
    A Vila Esperança agradece.

    1. Indio disse:

      Raoni,

      Bom dia, de quem vc é filho, sou amigos do Mozart, Ormar, Sou neto da D.Luiza e Zé Rodrigues muito amigos de sua avó.

      abs.

      Indio.

  28. Runner disse:

    Que legal o encontro de vizinhos! Sou na R. Nilza, e hoje moro bem longe de SP e a distância me faz sentir muita saudades desse bairro com tantas recordaçoes. Acho que a trajetória da Tia Gê e os seus choroes merecia ser contada. Também aprofundar um pouco mais sobre a peculiar historia deste bairro que se originou na fazenda dos Oliveira e tem suas ruas batizadas com o nome de suas moças, Nilza, Gilda,etc.

  29. Runner disse:

    A respeito de material fotografico lembro que o Sr. Cloretti, fotógrafo da vila esperança (atelier na R.Nilza quase Amador Bueno), possuia um acervo incrível, que inclusive tive a oportunidade de conhecer nos anos 90. Esse senhor se dedicou anos em fotografar a evoluçao do bairro, mantendo tudo catalogado e organizado. Lembro que na época da inauguraçao da estaçao do metrô ele tentou montar uma exposiçao mas infelizmente nao houve interesse por parte da administraçao da estaçao. Será que alguem tem contato da filha do Sr. Cloretti? Será possivel ter acesso a esse incrivel material que foi a obra da vida desse grande morador do bairro?

  30. Runner disse:

    Só mais uma contribuiçao, o ônibus vila esperança tinha o carinhoso apelido de “Poerinha” Abraço e novamente parabens pelo site.

  31. josé luiz disse:

    Olá pessoal…… Meu nome é José Luiz Paganini e morei na Vila Guilhermina de 1952 até 1984, hoje resido no bairro da Mooca, mas mesmo assim ainda visito os bairros da vila matilde e vila esperança para encontrar meus velhos amigos. Estudei no externato São José de V. Matilde nos anos de 62 a 65. Fiz o curso de admissão ao ginásio na escola Auri Verde que ficava na Padre Olivetanos. Era assíduo frequentador do cine São Sebastião e do famoso cine goteira. Fui sócio do RUVE quando foi inaugurada a piscina. Me lembro da empresa de ônibus V.Esperança que tinha um ponto inicial saindo da praça Porto Ferreira em vila guilhermina indo até o parque Dom Pedro. Eram aqueles ônibus com motor Volvo que ficava ao lago do motorista, carroceria da CAIO e a entrada era pela porta dos fundos. Estudei datilografia na escola Bertel do sr. Santino que ficava na R. Joaquim Marra. Ainda tenho amigos no RUVE como o sr. Armando Sanches Filho, que estudou comigo no Externato. Mas o que mais tenho saudades é da estação de trem de vila matilde, da antiga central do brasil onde tinha uma grande escadaria que dava acesso até a rua joaquim marra. Utilizei por muitos anos este tipo de transporte para ir ao trabalho que ficava no Brás. Obrigado pelo site e adorei deixar meus comentários.

    1. José Luiz, curiosamente também estudei no São José de Vila Matilde, de 1979 a 1990.

  32. Serginho disse:

    Vamos lá!!! Deixei também minha contribuição na Vila Esperança, lá perto do Rio Rincão, Na Escola Estadual Heckel Tavares, antigamente Passalacqua. O Campo do Vila, O Gabriel Ortiz, aos amigos que deixei Salvador no Guarani; Seu Teran (RUVE); Ede (o Manuel Tobias da nossa Época), Pitanga e Pitanguinha (Edinho – O Falcão do Futsal melhorado)), Funeral (craque), Lucas (Raça), o Padaria (definidor, Pudim (intrasponível), Gibinha (Delicado e finalizador) amigos que pudemos jogar futebol, ir à TOCO, juntos éramos comédia. Enfim,

    1. Edmilson ( Indio ) disse:

      Bom dia,

      Serginho, acredito que nos conhecemos no Guarani ou no RUVE, sou dessa turma, Joguei com Funeral, Edson, Guilherme, Giba, Beto, Carlos, Militão, Nelsão, Douglas, Tibrita, Etc…Depois fui jogar no Juventos e por aqui fiquei na Mooca até hoje. Morava na Cinco de Maio, do lado do Heckel, Profs. .Jose Carlos, Lenine, Beth, Monica(Tião),Maevi, leonilda, etc…Tempo Bom….Saudades….

      Abs,

      Indio

      1. Vladimir disse:

        Boa tarde,

        Serginho e Edmilson, devo conhecer vocês, pois joguei no guarani no anos 70, joguei muito contar o Funeral quando ele jogava pelo padre olivetanos, era muito amigo dos irmão Douglas e Danton, cara que saudade.

        1. Dalton disse:

          É o Vladimir Ortega? Tudo bem, é o Dalton assim que possível entra em contato. Dalton.dsf@gmail.com

          1. Indio.... disse:

            Bom dia, é Edmilson ( INDIO) …tudo bem…edyrodrigues@uol.com.br

            abs…

  33. Serginho do Heckel. disse:

    Enfim, as amigas do Heckel A Marli, Denize Teran, Eliana, Izaura, Maria Aparecida, pessoas que hoje nem sei onde estão, mas que contribuiram tanto para os meus relacionamentos e memórias. Obrigado pro voces existirem.
    Jesus hoje é o Senhor da minha vida e Ele quer que voces o conheçam. Abraçós

  34. MARCIO BELTRAMINI disse:

    Cursei somente o primeiro ano do antigo Primário no Monsenhor Passalacqua, isso lá pelos anos 61 ou 62. Depois fui para o Theodomiro Emerique. Morava na rua Sinanduva, bem ao lado da antiga garagem dos ônibus da Viação Vila Esperança, depois Vila São José. Conheci a Toco no início, acho que em 1973, no prédio dos Correios. Muitas saudades. Depois, em 1969 fui morar na Penha, quase defronte da antiga garagem da VUP, onde hoje está o Mercado Municipal da Penha. E em 1984 fui pra Guarulhos, e finalmente em 2000 para o Parque Novo Mundo, próximo do Nipo Brasileiro. Mas sempre que posso, vou aos lugares onde vivi e me diverti muito. Pena que a maioria daquele pessoal “sumiram”.

  35. José Cândido de Souza Filho disse:

    Olá a todos. Adorei ler muitas dessas histórias, aí deixadas por moradores da Vila Esperança. Nasci no Itaim Paulista, mudei-me para o Cangaíba (morei em dois lugares lá), em seguida voltei para o Itaim. Tudo isso durante minha tenra infância (de 0 a 10 anos). Aos 11 anos mudei-me (eu, minha irmã e meus pais, claro!) para a Vila Esperança (isso foi em 1978), onde comecei a estudar no Monsenhor Passalacqua, na sexta-série do ginásio. Fiz , além da sexta-série, a sétima e a oitava nessa escola. Aos finais de semana, as vezes aos sábados, as vezes aos domingos, sempre havia jogos de futsal na quadra do Monsenhor, onde se apresentavam muitos desses que foram citados, como o Funeral, o Zé Neguinho, Edinho etc. Tinha o “Vlad”, um magrelão que tinha uma “bica” que parecia um tiro de canhão. Eu era criança, tinha 11 para 12 anos, e morava em frente ao Passalacqua. Lembro-me de alguns colegas como o Cézar, Ricardo, Florisvaldo (que era irmão do Zé Neguinho), Carlos e mais alguns, Cansei de jogar bola na rua rincão com esse pessoal. Lembro-me também que tinha um rapaz (um pouco mais velho do que nós) de apelido “Bocão”, que era irmão de um outro de apelido “Careca” (apesar de ter um baita “black power”) que também as vezes jogava com a gente. Por um tempo fiquei bastante amigo do irmão mais novo deles, que também jogou muita bola comigo. Alguém, nos comentários anteriores, falou dos craques de bola que haviam nessa época aí na Vila, mas quem mais me impressionava era um garoto da minha idade – mais ou menos – que se chamava Édson e tinha apelido “FULA”. O cara era uma fera na bola. Tivemos uma boa amizade durante o ginásio, mas depois não tive mais contato. Uma pena, pois era um craque mesmo, e acima de tudo uma pessoa humilde, apesar do talento que tinha. Quando eu completei o ginásio, ingressei no Colégio Gabriel Ortiz, muito famoso, na época, por preparar muito bem os alunos para o vestibular. Mas fiquei apenas um ano. No ano seguinte entrei no SENAI Roberto Simonsen, e precisei fazer o Colégio à noite em uma escola na PENHA (Colégio Esther Frankel Sampaio – se eu não me engano o Casagrande estudou lá – sim! esse mesmo, O Casagran do Corinthians, hoje comentarista da Globo). A Vila foi marcante em minha vida. Lá passei da infância para a adolescência, e da adolescência para a idade adulta. Lá eu tive também minhas primeiras paixões púberes. Cansei de andar de “bike” em todas essas ruas que alguém aí já citou. Gilda, Evans, Olivetanos, Nilza, Rincão etc… Fui sócio do RUVE; adorava aquela piscina. Depois de muita brincadeira na água, saía, tomava um banho e ficava na quadra assistindo algum jogo de futsal, comendo tremosso e tomando guaraná. Nossa! quanta saudade dessa época e desse bairro. Quanto tinha 16 para 17 anos arrumei meu primeiro emprego registrado lá na Vila Maria. Eu entrava as 6h da manhã, e lembro-me que acordava às 4h30min, tomava uma ducha gelada rápida e subia a Rua Gilda voando, para pegar, na Av. Amador Bueno, um ónibus para a Penha, e de lá, para a Vila Maria. Aos 22 anos, vim fazer faculdade aqui na Zona Oeste de São Paulo, onde moro e trabalho até hoje. Moro na Vila São Francisco, já na cidade de Osasco (bem na divisa). Todos os domingos saio para passear por aqui, e então, lembro-me de outra vila, a Esperança, que tanto marcou minha vida. No ano que vem, 2015, mudar-me-ei para o Paraná, mas levarei comigo, para sempre, a lembrança da Esperança, a Vila!

    1. Edmilson (Indio). disse:

      Não sei de lembra, sou o Indio – filho do Zé da Farmácia, na 5 de Maio.

      abs.

      1. Raul disse:

        Puxa, farmácia na 5 de maio, essa eu nao lembro. De vez em quando dou uma volta por lá usando o google street view.

      2. José Cândido de Souza Filho disse:

        Caro Edmilson, “puxa vida!”. Tanto tempo se passou. Lembro-me vagamente que tinha o Zé da Farmácia. Acho que meu pai o conhecia. Aliás, meu pai já faleceu faz treze anos. Desculpe-me não lembrar com clareza. De qualquer forma, é bom entrar em contato com alguém aí da Vila. Um grande abraço para você, prezado Edmilson. Espero que esteja tudo bem por aí.

    2. MARCIO BELTRAMINI disse:

      Cara, em época diferente, fiz o mesmo percurso, MONSENHOR PASSALACQUA, ESTHER FRANKEL SAMPAIO, GABRIEL ORTIZ, PENHA DE FRANÇA e ANCHIETA, POREM, DE 1965 A 194, DEPOIS FMU E FIG. MOREI NA VILA ESPERANÇA POR MUITO TEMPO, RUA SINANDUVA, DEPOIS PENHA, PRÓXIMO AO MERCADO MUNICIPAL, DEPOIS GUARULHOS, E HOJE VILA MARIA. TEMPOS ÓTIMOS QUE NÃO VOLTAM MAIS. SÓ LEMBRANÇAS.

      1. José Cândido de Souza Filho disse:

        Caro Márcio, bom saber disso. Fiz bons amigos lá no Esther. Estudei lá em 1985 e 1986. De lá segui para o Colégio Técnico Lavoisier (1987 e 1988). Até hoje mantenho contato com um amigo que fiz lá. Morar na Vila Esperança para mim foi um orgulho. Infelizmente as necessidades de estudo e trabalho trouxeram-me para o outro lado da cidade. A vida é assim mesmo, não é! Obrigado por manifestar-se sobre meu comentário. Forte Abraço.

  36. Não podemos nos esquecer que a E.A.O. Vila Esperança era a co-irmã da Viação São José.
    Anos depois, a garagem desta mesma empresa virou um depósito da Antarctica.

  37. ELVIS ROBERTO BERTOLA disse:

    EU ME LEMBRO DE TODAS AS GARAGEM DE ÔNIBUS , GOSTARIA DE MENCIONAR MAIS DUAS QUE TAMBÉM FICOU MUITO NA MEMÓRIA : ( GARAGEM EMPRESA DE ÔNIBUS SÃO GERALDO LOCALIZADA NO FINAL DA RUA MERCEDES LOPES , E A GARAGEM EMPRESA DE ÔNIBUS SANTO ESTEVAM LOCALIZADA NA RUA FRANCISCO MARENGO NO TATUAPÉ , POIS ESTAS DUAS EMPRESAS ERAM ANOS 60 ATÉ 80 FAZIA A LINHA N° 370 VILA LAIS PÇA DO CORREIO E TAMBÉM Á LINHA N°366 CEL MEIRELES PÇA DO CORREIO . FIQUEI USUÁRIO DESTA LINHA POR MUITOS ANOS , FICA AQUI O MEU ABRAÇO : ELVIS PENHA S.P

  38. Dalton disse:

    Olá Edmilson, acho que jogamos bola juntos no Guarany, comecei a jogar desde o mirim até os veteranos, junto com aquele pessoal, o Padaria, o Coveiro, Luizinho, o Lauro( japonês), o Vladimir , Marquinhos, Edson ,o goleiro Borracha,o Pedrão, o Salim e tantos outros, se você não lembra, sou o filho do Zinho que tinha um caminhão Mercedes azul.
    Abç.

    1. Edmilson - Indio... disse:

      Sou o Indio, sobrinho do Calby, e do Tuca….

      1. José Cândido de Souza Fº disse:

        Caro Dalton, eu morei na Vila Esperança de 1978 a 1988. Eu era adolescente nessa época, e costumava assistir a muitos jogos de futsal no Guarany e no RUVE. Por acaso, o Vladimir a quem você se refere era uma magrão que tinha um “bica” que parecia um tiro de canhão? E o Edson, por acaso era um que tinha apelido de “FULA” e era bom de bola pra caramba? Estou perguntando, porque eles estudaram comigo no Passalacqua. Desde já agradeço.

        Grande abraço
        José Cândido Fº

        1. dalton disse:

          Olá José Cândido, eu nasci e fui criado na Vila Esperança,morei na rua Montes Áureos até 1981 (nasci em 1957), quando me casei e mudei de bairro,inclusive a minha festa de casamento foi nas dependências do Clube,cedido então pelo Sr Valdemar,na época presidente do Guarany e pai do padaria.esse magrão que você cita é o padaria e não o Vladimir.O Edson era bom de bola,mas não me recordo se ele tinha esse apelido.Eu também estudei no Passalacqua,se não me engano conclui em 1973.

          Abrç.

          1. José Cândido de Souza Fº disse:

            Olá Dalton, muito obrigado pela gentileza em me responder. Eu acho que se tratam de pessoas diferentes mesmo. É que eu tenho muitas lembranças dessa época, então eu tenho procurado alguns colegas desse tempo. Eu me formei no Passalacqua em 1981, depois estudei um ano no Gabriel Ortiz, e o restante do colégio foi no Esther Frenkel Sampaio, na região da Penha. Hoje não moro mais em São Paulo; estou no Paraná, numa pequena cidade chamada Goioerê, a uns 160 km de Maringá e uns 130 km de Cascavel, as duas maiores cidades aqui da região. Mais uma vez fico grato pela gentileza. Forte Abraço.

Deixe uma resposta

Publicidade:

SP ANTIGOS

Nosso Instagram: @saopauloantiga