A maioria dos paulistanos que visita o Parque da Independência e a famosa Casa do Grito não tem ideia que, a poucos passos dali existe uma igreja que talvez seja a menos conhecida de São Paulo: a Igreja da Nossa Senhora da Anunciação do Ipiranga.

Crédito da foto: Paulo Ciclista (clique para ampliar)

Se o templo em si é desconhecido, sua história também é bastante confusa e contada sempre com muitos erros, sendo que até na porta da construção existe uma placa com a data errada. Aqui vamos contar brevemente a história dela e também como a capela católica acabou se transformando em igreja, chegando a receber até o Patriarca de Moscou em suas dependências.

A CAPELA E O ASILO:

Tudo começou ainda no século XIX quando o padre português José de Almeida e Silva resolve angariar fundos para na região do Ipiranga construir com um asilo para orfãs e mulheres vítimas de violência.

Foi assim que em 16 de julho de 1893 um grande cortejo de tílburis e bondes saíram da região central de São Paulo para celebrar com direito a missa campal e música tocada pela banda dos salesianos a inauguração da pedra fundamental daquele que viria a ser o completo do Asylo do Bom Pastor e a Capella do Bom Jesus do Horto. O nome oficial do asilo era Congregação da Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor.

O projeto do asilo foi encomendado ao arquiteto Luiz Pucci que idealizou a construção com uma fachada de 75 metros, 2 andares, capela central e pavilhões externos. A obra seria concluída apenas alguns anos mais tarde em 1897.

Anúncio da inauguração em maio de 1897

No projeto não há menção a capela, razão que não podemos afirmar que a mesma foi obra do mesmo arquiteto, sendo que a capela central que nos referimos acima ficava dentro do prédio do asilo.

Com a morte do padre d. José de Almeida e Silva o complexo passou para as mãos dos padres de Sion, permanecendo assim até 1924 quando que estes foram transferidos para a Paróquia São José do Ipiranga, período em que iniciou um longo inverno para a capela que ficaria fechada até o ano de 1954.

DE CAPELA A IGREJA – A CHEGADA DOS RUSSOS:

A igreja vista pela Rua dos Sorocabanos (clique para ampliar)

Após 3 décadas fechada a capela retoma as atividades religiosas pelas mãos do padre russo João Stoisser passando a abrigar a Missão Católica Russa. Talvez seja neste momento (carecemos de fontes) que a igreja tenha recebidos modificações arquitetônicas externas que a deixaram similar aos templos russos.

Assim a capela passou a ser chamada de Igreja Nossa Senhora da Anunciação, sendo que para atender os inúmeros imigrantes ortodoxos que chegavam em São Paulo após o término da segunda guerra mundial, passou a oferecer missas do rito bizantino eslavo e na língua russa.

O RISCO DE VIR ABAIXO:

Na imagem é possível ver o asilo, a igreja e a Casa do Grito

A preocupação com a especulação imobiliária no bairro do Ipiranga levou ao CONPRESP um pedido de tombamento da igreja, o que veio a ocorrer em 1994. Na época havia o rumor de que o Instituto Bom Pastor, proprietário da área, tinha um compromisso de compra e venda com a construtora Gafisa. Como o tombamento só atendia a igreja o prédio do asilo acabou sendo demolido no ano de 1995.

Por anos houve o temor que mesmo tombada a igreja poderia vir a desaparecer, já que a construtora tinha um projeto de erguer edifício que até poderiam vir a fazer sombra ao Parque da Independência. A situação foi se arrastando até o ano de 2008, quando o então prefeito paulistano Gilberto Kassab desapropriou toda a área indenizando seus proprietários em R$ 9 milhões.

11 ANOS DE LIMBO:

No ano em que a Prefeitura de São Paulo finalmente livrou a igreja de demolição e a área das garras da especulação imobiliária, foi prometido integrar esta área de 22 mil metros quadrados ao vizinho Parque da Independência. Passado 11 anos desta promessa, a área segue fechada, isolada e sem qualquer sinal de mudança. Enquanto isso não ocorre a velha igreja segue escondida dos paulistanos.

CURIOSIDADE  – O ÚLTIMO DESEJO

Por fim uma nota que estamos ainda pesquisando e que em breve traremos novidades. O grande idealizador do asilo e da capela, Padre José de Almeida e Silva, tinha como seu último desejo ser sepultado dentro da capela.

De acordo com o recorte acima, extraído do extinto jornal Correio Paulistano, a Câmara Municipal de São Paulo decidiu atender ao pedido do sacerdote permitindo seu sepultamento dentro da capela. Será que seus restos mortais estão mesmos sepultados lá ? A conferir.

Notas:

*1 – No bairro a entidade era popularmente conhecida como Congregação das Irmãs do Bom Pastor.

*2 – Embora na época se mencione 2 andares, a edificação tinha um total de 3. É possível que na época tenha sido dito que são três andares além do piso térreo. Esta informação ainda está sendo verificada e será alterada aqui caso encontre-se divergências.

*3 – Resolução do CONPRESP 10/94

Bibliografia consultada:

  • Correio Paulistano – Edição 11021 – 18/07/1893 pp 1
  • Correio Paulistano – Edição 12419 – 26/01/1898 pp 3
  • O Estado de S. Paulo – 14/05/2005 pp 53
  • Folha de S. Paulo – 04/06/2008
  • Histórias de Pedal – link visitado em 20/12/2019
  • Acervo do pesquisador José Vignoli (foto aérea do Ipiranga)

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Marcelo Albuquerque Magalhães 20/12/2019 at 20:13

    Na realidade o padre que faleceu nos anos 2000,era de nacionalidade austríaca e não russa,algo que não deixa de ser uma curiosidade.
    Eles eram russos ligados à Igreja Católica e hoje mudaram para a Igreja Ortodoxa Russa.

    Reply
  • Lucas Lieggio 22/12/2019 at 00:28

    Meu pai é engenheiro civil e da família Pucci.

    Reply
  • Luiz Henrique 22/12/2019 at 09:17

    Na foto aérea, o prédio parecia ter dois andares, sendo que um deles era o térreo, não é isso?

    Reply
  • Rodrigo Escudero 22/12/2019 at 13:56

    Poderiam aproveitar e tentar catalogar todas as mansões que foram derrubadas na rua bom pastor, seria bem legal

    Reply
  • Bolívar Pinta Júnior 22/12/2019 at 19:26

    …/… excelente registro ,,,grato !

    Reply
  • Elizete 23/12/2019 at 17:59

    Todos nós já vimos este filme, que transpira drama sempre…..a ganância das construtoras, o poder do dinheiro e a ambição desmedida de cimentar tudo enterrando nossa história, arborização e a luta dos pioneiros! Tenho certeza que, em pouco tempo, sobrará aptos em diversos bairros, pois as famílias diminuíram em tamanho e teremos menos cçs e mais idosos que preferirão ficar nos seus cantos até o fim da jornada..

    Reply
%d blogueiros gostam disto: