Quem acompanha o São Paulo Antiga sabe que somos absolutamente apaixonados pela Di Cunto, um dos patrimônios gastronômicos da nossa querida cidade de São Paulo.

Estamos sempre por lá, já contamos a história deles em nosso site e temos muito carinho por todos que lá trabalham e especialmente seus proprietários, pessoas todas muito gentis e atenciosas.

Entre eles um especial que infelizmente nos deixou ontem: Francesco Paolo Lo Schiavo.

foto: Divulgação

Em quase 12 anos de atividades do São Paulo Antiga é uma das pessoas mais doces que já conhecemos. Em todas as oportunidades que estivemos na Di Cunto em que ele esteve presente sempre fez questão de nos acompanhar pela loja, sentar e tomar um café conosco e contar seus planos, suas ideias e seus projetos.

Entre tantas de suas atividades uma foi sempre muito comovente: a de produzir refeições de qualidade para alimentar pessoas em situação de rua na região central de São Paulo, trabalho que tivemos oportunidade de conhecer e que chama-se ‘ONG Um Ato de Amor

Francesco (à direita) e voluntários da ONG Um Ato de Amor

Vítima da covid-19 Francesco Paolo Lo Schiavo nos deixa, mas sabemos que seu legado, seu carinho e sua amizade com todos será sempre lembrada. Já estamos com muitas saudades de você.

Por tudo que realizou e por tudo que ainda tinha por realizar, a equipe do Instituto São Paulo Antiga agradece: Obrigado, Francesco!

Francesco Paolo Lo Schiavo – 69 anos
* Castellabate, Itália – 06/04/1951
+ São Paulo, Brasil – 14/07/2020

Equipe – Instituto São Paulo Antiga
Fotos: Divulgação e Acervo São Paulo Antiga

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • vanialacerda2013Vania 16/07/2020 at 11:33

    Obrigada, Francesco!

    Reply
  • Ari Francisco Fiadi 16/07/2020 at 11:42

    Parabéns por sua homenagem a mais um italiano e brasileiro de coração,que se vai. A pouco tem se foi meu “irmão” Toninho do Jardim
    de Napoli. Como oriundi,tenho orgulho de termos colaborado pelo
    enriquecimento, nas inúmeras cozinhas e receitas aqui deixadas
    por essa gente tão trabalhadora e amantes de nosso lindo país.
    bjs. a todos do Ari Fiadi

    Reply
  • J.C.Cardoso 16/07/2020 at 12:17

    Sou do Rio. Quando fiz minha Pós em SP, no Senai da Mooca (de 2008 a 2010), houve dois finais de módulo em que comemoramos aí. Realmente espetacular. De um tempo para cá é que esse conceito de padaria está chegando ao Rio. Mas ainda não é cultural nosso fazer programa com a família e os amigos nesses estabelecimentos.

    Reply
  • Ervin Moretti 16/07/2020 at 12:45

    Nossos sentimentos para a família e amigos e amigos.

    Reply
  • Taylor 16/07/2020 at 13:01

    Obrigado, Francesco!

    Reply
  • Antonio Costa 16/07/2020 at 13:09

    Wow, faleceu cedo.  

    Ótimo saber que ele era generoso e dado a participar em ações de caridade. .  .

    Eu frequentei  Di Cunto nos anos 80, quando ia assistir jogos na Rua Javari ( morava e moro em Santo André ) e novamente recentemente.  Ótimo lugar para se pegar confeitaria, café, sanduíche.   Por fora a loja parece estéril, porém dentro, quando se toma o tempo de visitar a loja principal na Borges de Figueiredo, e que se pode absorver o clima do que e frequentar a Mooca.

    Eu so espero que a Di Cunto continue na familia. A prática de cidadania local sempre e o resultado de donos do negócio que sao locais e tem um senso comunitário.  

    E ele não contratava apenas Paesans.  Um dos funcionários na caixa, eu me lembro recentemente, é Cubano.

    Se existe algum conforto no Falecimento dele, e que ele deixou a sua marca no mundo e o fez com compaixão e um senso de dever.  Em uma época de materialismo cínico, e rentabilidade a qualquer custo, e bom saber que pessoas que se preocupam com a sua comunidade ainda existem. 

    Reply
  • Luiz Henrique 16/07/2020 at 13:50

    A Mooca é um desses bairros de São Paulo que eu adorava passear, bater perna mesmo, admirando os logradouros e, claro, as construções antigas.Nessas minhas andanças(que são menos frequentes agora), eu sempre dava uma passada na Di Cunto. Um pão italiano e um panetone eram obrigação! ORRA, MEEU!!!

    Reply
  • Elizete 17/07/2020 at 18:47

    Nós, mooquenses de alma, corpo e coração, nos juntamos à tristeza de vcs, frequentadores e colaboradores….Que seus herdeiros possam dar continuidade a essas tradições ítalo/brasileiras, gerando empregos e porporcionando momentos felizes com alimentação saborosa junto aos amigos e familiares! RIP

    Reply
  • Paulo Clístenes Vieira da Silva 22/07/2020 at 12:03

    Infelizmente um grande empreendedor com visão social partiu, mesmo não o conhecendo.

    Reply
  • ROGÉRIO PIRES 06/08/2020 at 18:05

    Que Deus conforte a família.
    Conheci a Di Cunto via este site e sua reportagem, muitos lugares e residências, prédios e parques da Cidade de São Paulo tenho visto com saudades. Muito obigado por existir.!!! PARABÉNS

    Reply
%d blogueiros gostam disto: